SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51Hepatitis C among blood donors: cascade of care and predictors of loss to follow-upOverweight, obesity, steps, and moderate to vigorous physical activity in children author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

On-line version ISSN 1518-8787

Abstract

FREGONA, Geisa et al. Fatores associados à tuberculose resistente no Espírito Santo, Brasil. Rev. Saúde Pública [online]. 2017, vol.51, 41.  Epub Apr 27, 2017. ISSN 1518-8787.  http://dx.doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051006688.

OBJETIVO

Analisar a prevalência e fatores associados à tuberculose resistente no Espírito Santo.

MÉTODOS

Estudo transversal dos casos de tuberculose testados para fármacos de primeira linha (isoniazida, rifampicina, pirazinamida, etambutol e estreptomicina) no Espírito Santo entre 2002 e 2012. Foram utilizados dados laboratoriais e de registro de casos de tuberculose – Sistema Nacional de Agravos de Notificação e Sistema para Tratamentos Especiais de Tuberculose. Os indivíduos foram classificados em resistentes e não resistentes, e comparados para variáveis sociodemográficas, clínicas e epidemiológicas. Algumas variáveis foram inclusas em um modelo de regressão logística para estabelecimento de fatores associados à resistência.

RESULTADOS

No período do estudo, 1.669 indivíduos tiveram o teste de sensibilidade aos fármacos antituberculose realizado. Destes, 10,6% apresentaram resistência a qualquer droga antituberculose. A taxa de multirresistência observada, isto é, à rifampicina e isoniazida, foi de 5%. Após a análise múltipla, foram identificados como fatores associados independentes para tuberculose resistente: história de tratamento prévio para tuberculose [Recidiva (OR = 7,72; IC95% 4,24–14,05) e reingresso após abandono (OR = 3,91; IC95% 1,81–8,43)], tabagismo (OR = 3,93; IC95% 1,98–7,79) e cultura positiva para Mycobacterium tuberculosis no momento da notificação do caso (OR = 3,22; IC95% 1,15–8,99).

CONCLUSÕES

É necessário o fortalecimento da parceria entre os programas de controle de tuberculose e as equipes de saúde que atuam na rede de Atenção Primária à Saúde. Isso possibilitaria identificar e acompanhar indivíduos com história de tratamento prévio para tuberculose e tabagismo. Além disso, a ampliação da oferta de cultura e Teste de Sensibilidade a fármacos antituberculose proporcionaria maior capacidade diagnóstica para as formas resistentes no Espírito Santo.

Keywords : Tuberculose Resistente a Múltiplos Medicamentos, epidemiologia; Farmacorresistência Bacteriana Múltipla; Recidiva; Fatores de Risco; Fatores Socioeconômicos.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )