SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue6Splenomegaly in relation to Schistosoma mansoni egg counts: a population based study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Print version ISSN 0036-4665

Abstract

GERKEN, Sílvia E.; OLIVEIRA, Aparecida F. S.; CORREA-OLIVEIRA, Rodrigo  and  MOTA-SANTOS, Tomaz A.. Schistosoma mansoni: infecção experimental de camundongos através da orelha e quantificação do parasitismo na pele. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo [online]. 1986, vol.28, n.6, pp. 381-388. ISSN 0036-4665.  http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46651986000600001.

No presente trabalho, desenvolveu-se método de infecção de camundongos através da orelha e de recuperação de esquistossômulos resultantes dessas infecções. Cerca de 80% das cercarías postas em contacto com orelhas de camundongos penetraram. Destas, 30% foram recuperadas. como vermes adultos, do sistema porta. Da pele (das orelhas) as maiores recuperações de esquistossômulos ocorreram nos dois primeiros dias após a infecção. Os parasitas permaneceram nesse sítio por dois dias. No terceiro dia, os parasitas foram recuperados tanto da pele como dos pulmões. A partir do 4.° dia, foi predominante a recuperação de esquistossômulos ao nível dos pulmões. Do total de parasitas que potencialmente atingiriam o sistema porta, proporção elevada (73-80%) pode ser recuperada da pele, no segundo dia após a infecção, como esquistossômulos. Revelando-se apropriadas ao acesso, à migração no hospedeiro e às técnicas de recuperação de parasitas, sugere-se que orelhas de camundongos podem ser utilizadas como sítio de infecção para estudos que visem a análise parasitológica dos eventos iniciais da infecção em animais normais ou imunes.

Keywords : Esqustossomose experimental do camundongo; S. mansoni — Infestação experimental através da orelha; Recuperação de esquistossômulos.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese