SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue5Pulmonary tuberculosis: relationship between sputum bacilloscopy and radiological lesionsEvaluation of the formalin-Tween concentration technique for parasitic detection author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

On-line version ISSN 1678-9946

Abstract

FREITAS, Ronaldo B.; FREITAS, Maria R.  and  LINHARES, Alexandre C.. Evidência de infecção ativa por herpesvírus 6 (variante- A) em pacientes com linfadenopatia em Belém, Pará, Brasil. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo [online]. 2003, vol.45, n.5, pp.283-288. ISSN 1678-9946.  http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46652003000500008.

Um total de 323 pacientes apresentando linfadenopatia foi selecionado em Belém, Pará, Brasil, entre janeiro de 1996 a dezembro de 2001 e, posteriormente, examinado quanto à presença de anticorpos IgM e IgG para o herpesvírus 6 (HHV-6), utilizando-se a técnica imunoenzimática (ELISA). Taxas similares são encontradas quando a soroprevalência é analisada nos indivíduos do sexo feminino (60,6%) e masculino (55,7%). Setenta e sete (23,8%) pacientes apresentaram anticorpos IgM e IgG para o HHV-6 (subgrupo IgM+), com taxas de positividade de 29,7% e 17,7% (p = 0,0007) para indivíduos dos sexos feminino e masculino, respectivamente. Soros de um subgrupo (n = 120) desses indivíduos, com altos níveis de anticorpos IgM+ ou IgG+, foram subseqüentemente processados para detecção do DNA viral do HHV-6, através da reação em cadeia da polimerase (PCR) e do "nested" PCR. Infecções ativas (detecção de altos níveis de anticorpos IgM+ e/ou IgG+ específicos mais a presença de DNA viral) foram diagnosticadas em 20/77 (26,0%) e 8/43 (18,6%); subgrupo de 120 indivíduos com quadro sugestivo de infecção recente por HHV-6. Todos (n = 28) os casos de infecção ativa foram associados com variante A do HHV-6 (HHV-6A), detectada pela técnica de PCR/"nested" PCR, utilizando-se "primers" específicos que amplificam regiões de 195 pares de bases (pb) (HHV-6A) e 423 pb (HHV-6B).Taxas de detecção do DNA do HHV-6 foram similares (p > 0,05) em pacientes dos sexos feminino e masculino, no grupo IgM+ e IgG+ com: 20,4% versus 35,7% e 25,0% versus 13,0%, respectivamente. A detecção do DNA viral do HHV-6 ocorreu no grupo etário < 5 até o de 41-50 anos, nos pacientes cujas amostras de soro apresentaram presença de IgM+, com taxas variando de 7,7% (mulheres do grupo < 5 anos) a 80,0% (homens, 11-20 anos). Acerca dos pacientes cujo "status" sorológico foi IgG+, o DNA do HHV-6 foi detectado nos grupos de < 5, 6-10, 21-30 e > 50 anos, com taxas que variaram de 15,4% (homens, < 5 anos) a 100,0% (mulheres, 11-20 anos). O aumento dos linfonodos cervicais foi registrado como mais freqüente, ocorrendo em número de 9 (32,0%) casos, tanto entre indivíduos do sexo masculino como naqueles do feminino. Entre os pacientes (n = 28) com infecção ativa pela variante A do HHV-6, a duração dos sintomas em 35,7% deles foi de 1-5 dias, enquanto em 64,3% durou de 6-20 dias. Nossos dados sugerem ser importante investigar a infecção pelo HHV-6 entre os pacientes (crianças e adultos) portadores de linfadenopatia como manifestação clínica proeminente no curso das doenças agudas febris.

Keywords : Herpesvirus-6; Variant-A; Lymphadenopathy.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License