SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.48 número5Occurrence of enteroparasites in day care centers in Botucatu (São Paulo State, Brazil) with emphasis on Cryptosporidium sp., Giardia duodenalis and Enterobius vermicularisHuman papillomavirus status and cervical abnormalities in women from public and private health care in Rio de Janeiro State, Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

versión impresa ISSN 0036-4665

Resumen

BONON, Sandra Helena Alves et al. Estudo comparativo entre sorologia, antigenemia e reação em cadeia da polimerase para o monitoramento da infecção por citomegalovírus em pacientes receptores de transplantes de células progenitoras hematopoéticas. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo [online]. 2006, vol.48, n.5, pp. 275-278. ISSN 0036-4665.  http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46652006000500007.

Quarenta e seis pacientes receptores de transplantes de células progenitoras hematopoéticas (TCPH) foram monitorados em relação à infecção ativa por citomegalovírus (CMV). Testes sorológicos imunoenzimáticos foram utilizados para a detecção de anticorpos IgM e elevação significativa das concentrações de anticorpos IgG (aumento IgG), nested-PCR (N-PCR) foi utilizada para a detecção de CMV-DNA e antigenemia (AGM) para a detecção de antígenos virais. A presença de CMV-IgM e/ou CMV-aumento IgG foi detectada em 12/46 (26,1%) pacientes, sendo o tempo mediano entre o transplante e a detecção dos marcadores sorológicos de 81,5 dias; AGM positiva foi detectada em 24/46 (52,2%) pacientes, sendo o tempo mediano entre o transplante e a detecção de antígenos virais de 62 dias. Dois ou mais resultados positivos consecutivos de N-PCR foram detectados em 32/46 (69,5%) pacientes, sendo o tempo mediano entre o transplante e o primeiro teste positivo de 50,5 dias. Esses resultados confirmaram que a AGM e principalmente a PCR são superiores à sorologia, com relação ao diagnóstico da infecção pelo CMV. Seis pacientes apresentaram reações CMV-IgM positivas e/ou CMV-aumento IgG com reações negativas de AGM (cinco casos) ou N-PCR (um caso). Em cinco desses casos, os marcadores sorológicos foram detectados nos 100 primeiros dias após o transplante, considerado o período de maior risco. Esses resultados indicam que os testes sorológicos podem ser úteis no monitoramento da infecção por CMV após o transplante de células progenitoras hematopoéticas, principalmente quando a N-PCR não for disponível.

Palabras llave : Cytomegalovirus; Serology; Nested-PCR; Antigenemia; Hematopoietic stem cell transplantation.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés