SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número3Exame parasitológico de fezes de gatos (Felis catus domesticus) domiciliados e errantes da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, BrasilFauna de Culicidae em municípios da zona rural do estado do Amazonas, com incidência de febre amarela índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Resumo

SILVA, Luciana M.; MENEZES, Rejane M. C.; OLIVEIRA, Sheilla Andrade de  e  ANDRADE, Zilton A.. Efeitos da quimioterapia nos estágios larvais do Schistosoma mansoni durante infecção e re-infecção de camundongos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2003, vol.36, n.3, pp. 335-341. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822003000300004.

A susceptibilidade dos estágios larvais do Schistosoma mansoni aos esquistossomicidas praziquantel e oxamniquine foi testada em camundongos durante infecção primária ou secundária, e após diferentes intervalos de tempo após a exposição cercariana. A avaliação foi feita pela contagem dos vermes após recuperação destes por perfusão do sistema porto-mesentérico e pelo estudo morfométrico dos mesmos. O estudo revelou que a relativa resistência das formas larvais aos esquistossomicidas, já demonstrada em infecção primária, persiste no caso de hospedeiros já infectados. Este fato indica que uma falha terapêutica pode resultar quando o tratamento é feito em hospedeiros re-infectados recentemente, em virtude dos mesmos apresentarem formas migrantes e imaturas do parasita, as quais são particularmente resistentes aos esquistossomicidas.

Palavras-chave : Schistosoma mansoni; Estágio Larval; Praziquantel; Oxamniquine.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês