SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 issue3Internal validity of clinical trials for Plasmodium vivax malaria treatmentDilated cardiomyopathy in patients with chronic chagasic infection: report of two fatal autochthonous cases from Rio Negro, State of Amazonas, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Abstract

PEREIRA, Fausto E.L.  and  GONCALVES, Carlos S.. Hepatite A. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2003, vol.36, n.3, pp. 387-400. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822003000300012.

A hepatite A é conhecida desde as antigas civilizações chinesa, grega e romana, mas o primeiro relato escrito se deu no século 18. O agente é um picornavírus, do genêro Hepatovírus e o RNA viral possui fita simples. Existem sete genótipos. Nas infecções naturais, os anticorpos das classes IgM e IgA são os mais precoces, aparecendo junto com as primeiras manifestações clínicas, mas podem surgir apenas no final da primeira semana de doença. A infecção pelo vírus da hepatite A resulta em infecção assintomática, infecção sintomática anictérica, ou em infecção sintomática ictérica. A forma fulminante da hepatite não é freqüente. O diagnóstico etiológico é feito pela pesquisa dos anticorpos anti-VHA da classe IgM, geralmente, pelo método de ELISA. Nenhum medicamento, exceto os sintomáticos, devem ser prescritos. A imunoprofilaxia passiva é feita pela injeção intramuscular de gamaglobulina anti-A e a imunoprofilaxia ativa através da vacinação.

Keywords : Hepatite A; Icterícia; Hepatite fulminante; Vacina.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese