SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número1Perfil epidemiológico para hepatite C em doadores de sangue do Hemocentro Regional de UberabaPerfil epidemiológico da raiva na região Noroeste do Estado de São Paulo no período de 1993 a 2007 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Resumo

SOUZA, Samaly dos Santos; SOUZA NETO, Joaquim Pereira de  e  ANDRADE, Zilton A.. Alterações pulmonares na esquistossomose aguda experimental em camundongos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2009, vol.42, n.1, pp. 5-8. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822009000100002.

Recentemente tem sido observada a presença de tosse seca, dispnéia, e manifestações de asma brônquica em pacientes com esquistossomose aguda. Para se investigar sobre o tipo e patogenia de tais lesões foi utilizado um modelo experimental de esquistossomose aguda no camundongo. Quarenta animais foram divididos em quatro grupos de 10 animais cada, 3 infectados e um grupo controle não-infectados. Os exames foram feitos após 7, 28-35, e 40 dias após a exposição cercariana. Na fase aguda da infecção (28-35 dias), encontrou-se um processo de pneumonite intersticial multifocal, envolvendo os tecidos peribrônquicos, peribronquiolares e subpleural, processo que esteve ausente nas outras fases examinadas. Não foi possível a demonstração de antígenos do Schistosoma. mansoni nas lesões da fase aguda, através da técnica de imuno-fluorescência indireta. A pneumonite foi atribuída a produtos (mediadores inflamatórios) gerados nas lesões hepáticas necro-inflamatórias periovulares da fase aguda, e transportados para os pulmões pela circulação sanguínea.

Palavras-chave : Esquistossomose aguda; Pneumonite; Dispnéia; Granuloma peri-ovular.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês