SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número1Perfil epidemiológico para hepatite C em doadores de sangue do Hemocentro Regional de UberabaPerfil epidemiológico da raiva na região Noroeste do Estado de São Paulo no período de 1993 a 2007 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Resumo

SOUZA, Samaly dos Santos; SOUZA NETO, Joaquim Pereira de  e  ANDRADE, Zilton A.. Alterações pulmonares na esquistossomose aguda experimental em camundongos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2009, vol.42, n.1, pp. 5-8. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822009000100002.

Recentemente tem sido observada a presença de tosse seca, dispnéia, e manifestações de asma brônquica em pacientes com esquistossomose aguda. Para se investigar sobre o tipo e patogenia de tais lesões foi utilizado um modelo experimental de esquistossomose aguda no camundongo. Quarenta animais foram divididos em quatro grupos de 10 animais cada, 3 infectados e um grupo controle não-infectados. Os exames foram feitos após 7, 28-35, e 40 dias após a exposição cercariana. Na fase aguda da infecção (28-35 dias), encontrou-se um processo de pneumonite intersticial multifocal, envolvendo os tecidos peribrônquicos, peribronquiolares e subpleural, processo que esteve ausente nas outras fases examinadas. Não foi possível a demonstração de antígenos do Schistosoma. mansoni nas lesões da fase aguda, através da técnica de imuno-fluorescência indireta. A pneumonite foi atribuída a produtos (mediadores inflamatórios) gerados nas lesões hepáticas necro-inflamatórias periovulares da fase aguda, e transportados para os pulmões pela circulação sanguínea.

Palavras-chave : Esquistossomose aguda; Pneumonite; Dispnéia; Granuloma peri-ovular.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês (pdf) Inglês (epdf)