SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número5Primeira descrição epidemiológica da leishmaniose visceral em Campo Grande, Estado de Mato Grosso do SulExpansão urbana e distribuição espacial da malária no município de Manaus, Estado do Amazonas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Resumo

MONTEIRO, Wuelton Marcelo et al. Mobilidade populacional e produção da leishmaniose tegumentar americana no Estado do Paraná, sul do Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2009, vol.42, n.5, pp. 509-514. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822009000500007.

São escassas as informações sobre o papel da mobilidade populacional na manutenção da leishmaniose tegumentar americana no estado do Paraná. Avalia-se a mobilidade populacional como fator de risco para esta endemia em três mesorregiões do Paraná, utilizando dados gerados na Universidade Estadual de Maringá, no período de 1987 a 2004. Foram notificados 1.933 casos, predominando os casos migrantes (54,4%). Os municípios com maior número de casos notificados foram Maringá (358), Doutor Camargo (108) e Terra Boa (105). Os casos rurais foram predominantemente autóctones (89,8%), enquanto os urbanos, na maioria (84,8%) migrantes (p<0,0001). Para os casos rurais autóctones, não houve predomínio entre os sexos (p=0,127); para os casos urbanos migrantes, prevaleceu o sexo masculino (p<0,0001). Os casos migrantes foram na maioria relacionados com a mobilidade intra e intermunicipal. A mobilidade populacional parece ser uma variável importante na epidemiologia desta doença no Estado do Paraná.

Palavras-chave : Leishmaniose tegumentar americana; Mobilidade populacional; Estado do Paraná.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português