SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue3Aedes aegypti and Aedes albopictus (Diptera: Culicidae): coexistence and susceptibility to temephos, in municipalities with occurrence of dengue and differentiated characteristics of urbanizationCommunity prevalence of methicillin and vancomycin resistant Staphylococcus aureus in and around Bangalore, southern India author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Abstract

MAGALHAES, Ivna de Melo et al. Diagnóstico de infecção primária pelo herpesvírus humano tipo 6B através da técnica de reação em cadeia da polimerase em crianças com doença exantemática. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2011, vol.44, n.3, pp. 306-308.  Epub Apr 29, 2011. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822011005000021.

INTRODUÇÃO: O exantema súbito é uma doença comum durante a infância e pode ser causada pela infecção por herpesvirus humano tipo 6B (HHV-6B). No entanto, a erupção cutânea característica dessa doença, é frequentemente confundida com outras viroses como sarampo ou rubéola. MÉTODOS: Foi utilizada a técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR) no formato nested multiplex para o diagnóstico de infecção primária por HHV-6B, diferenciação entre as infecções causadas pelo HHV-6A e comparação com testes de avidez de anticorpos. As amostras foram separadas em grupo caso e grupo controle, de acordo com os resultados do teste de imunofluorescência indireta (IFA). RESULTADOS: Nas amostras de saliva analisadas, o DNA do HHV-6A foi detectado em 3,2% no grupo caso e em 2,6% das amostras do grupo controle. Em relação ao HHV-6B, o DNA viral foi observado em 4,8% no grupo caso e em 1,3% no grupo controle. Após a realização da PCR nas amostras de soro, o DNA do HHV-6A foi detectado em 1,7% no grupo caso e em 1,2% no grupo controle, enquanto o DNA do HHV-6B não foi detectado. A sensibilidade e a especificidade da técnica de PCR variaram de 0% a 4,8% e de 97,5% a 100%, respectivamente, quando comparado com a IFA. CONCLUSÕES: A técnica de PCR não se mostrou adequada para o diagnóstico de infecção primária pelo HHV-6B em crianças com doença exantemática e não deve substituir a IFA.

Keywords : Herpesvírus humano tipo 6; Exantema súbito; Multiplex PCR; Imunofluorescência indireta; Infecção primária.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English