SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue5Class-I human leukocyte alleles in leprosy patients from Southern BrazilCharacterization of multidrug-resistant tuberculosis during pregnancy in Campinas, State of São Paulo, Brazil, from 1995 to 2007 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Abstract

LUSTOSA, Anselmo Alves et al. O impacto da hanseníase na qualidade de vida relacionada à saúde. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2011, vol.44, n.5, pp.621-626. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822011000500019.

INTRODUÇÃO: A hanseníase é uma doença infecto-contagiosa, potencialmente incapacitante, que evolui com elevada carga emocional em função do preconceito que persiste sobre os acometidos. A endemia declinou substancialmente com a poliquimioterapia (PQT), na década de 80; entretanto, surgiram novas demandas associadas à redução do estigma e melhoria da qualidade de vida dos acometidos. No Brasil, a hanseníase ainda é um problema de saúde pública. O Piauí é o 2º estado do nordeste em prevalência e detecção, sendo que Teresina é hiperendêmica. Objetivou-se analisar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) de pessoas em tratamento da hanseníase em Teresina/PI. MÉTODOS: Estudo observacional realizado com a aplicação do SF-36 (questionário específico para avaliação da qualidade de vida) que buscou os determinantes da piora na qualidade de vida das pessoas com hanseníase, delineando o perfil sóciodemográfico, clínico e epidemiológico dos 107 pacientes entrevistados. RESULTADOS: A correlação entre as variáveis demonstrou cinco determinantes para QVRS: diagnóstico tardio, formas multibacilares, reações, grau II de incapacidade no diagnóstico e preconceito. O perfil dos participantes revelou que a hanseníase continua acometendo as classes sociais menos favorecidas em áreas historicamente endêmicas provocando percentuais elevados de lesões secundárias que comprometem a capacidade de trabalho e a qualidade de vida dos acometidos, perpetuando o estigma associado à doença. CONCLUSÕES: O estudo reforça a necessidade de implementação de estratégias mais efetivas de controle da doença, uma vez que o estabelecimento de formas graves e incapacitantes de hanseníase está diretamente relacionada à baixa QVRS mesmo no paciente curado.

Keywords : Hanseníase; Qualidade de vida; Estigma.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License