SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue6Use of Poisson spatiotemporal regression models for the Brazilian Amazon Forest: malaria count dataCo-infection Trypanosoma cruzi/HIV: systematic review (1980 - 2010) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Abstract

ALMEIDA, Ricardo Augusto Monteiro de Barros et al. Picadas de abelhas africanizadas: como tratá-las?. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2011, vol.44, n.6, pp. 755-761. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822011000600020.

INTRODUÇÃO: As abelhas africanizadas (AHBs) migraram do Brasil em 1956 para todo o continente Americano. Apesar de produtivas, são agressivas causando acidentes fatais. O objetivo foi avaliar pacientes atendidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HC-FMB) e propor um roteiro de tratamento. MÉTODOS: Entre 2005 e 2006, foram analisados os aspectos clínicos e laboratoriais de 11 pacientes e anatomopatológicos de um que foi a óbito em 2003. RESULTADOS: A idade dos pacientes variou entre 5 e 87 com média de 42,5 anos. Sete eram do sexo masculino e quatro do feminino. O número de picadas variou entre 20 e 500. Nove deles receberam mais de 50 picadas. Os principais sinais e sintomas foram dor local, náuseas, taquicardia e vômitos. Os exames hematológicos mostraram leucocitose, neutrofilia, anemia e desvio à esquerda escalonado. Os exames bioquímicos revelaram níveis elevados de creatinofosfoquinase, desidrogenase lática e aspartato/alanina aminotransferase. O paciente que foi a óbito 24h após o atendimento tinha 11 anos, era do sexo masculino e foi atacado ao adentrar um edifício de dois andares recebendo mais de 1.000 picadas. O exame anatomopatológico mostrou lesões eritemato-purpúricas, além de necrose nos locais das picadas. Apresentou também rabdomiólise, necroses focais do miocárdio, degeneração hidrópica acompanhada de necrose tubular renal aguda, mioglobinúria e necrose centrolobular no fígado. CONCLUSÕES: Os pacientes acometidos por múltiplas picadas necessitam de tratamento imediato e por não dispormos de um soro específico desenvolvemos um roteiro que inclui os primeiros socorros, as drogas a serem empregadas e a retirada dos ferrões corretamente.

Keywords : Picadas de abelhas africanizadas; Roteiro de tratamento; Apis mellifera.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English