SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número1Flebotomíneos (Diptera: Psychodidae) em São Vicente Férrer, uma área simpátrica para leishmaniose tegumentar e visceral, no estado de Pernambuco, BrasilFrequência de flebotomíneos em ambiente rural com boas condições de limpeza e organização, no estado do Paraná, Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Resumo

MAEDA, Maicon Hitoshi; KNOX, Monique Britto  e  GURGEL-GONCALVES, Rodrigo. Ocorrência de triatomíneos sinantrópicos (Hemiptera: Reduviidae) no Distrito Federal, Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.1, pp.71-76. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000100014.

INTRODUÇÃO: As espécies de triatomíneos registradas pela vigilância entomológica da doença de Chagas no Distrito Federal (DF), Brasil, são Panstrongylus megistus, Panstrongylus geniculatus, Panstrongylus diasi, Rhodnius neglectus, Triatoma pseudomaculata e Triatoma sordida. Nosso objetivo foi analisar a ocorrência espacial e temporal das espécies de triatomíneos coletadas no DF, assim como seus índices de infecção natural por tripanosomatídeos. MÉTODOS: Os triatomíneos foram registrados pela Secretaria de Saúde do DF, entre 2002 e 2010, em 20 regiões administrativas. Esta análise retrospectiva considerou o número de adultos e ninfas coletados e infectados de cada espécie no intra e peridomicílio. RESULTADOS: Ao todo, foram coletados 754 triatomíneos em 252 unidades domiciliares notificadas. Panstrongylus megistus foi a espécie mais frequente (65%), seguida de T. pseudomaculata (14%). Dos 309 triatomíneos examinados, somente 3 (1%) espécimes de P. megistus estavam infectados por flagelados morfologicamente similares a Trypanosoma cruzi. A ocorrência espacial mostrou que houve maior diversidade de triatomíneos e maior frequência de T. sordida em áreas rurais. Além disso, houve predominância de P. megistus nas áreas urbanas. O número de registros de P. megistus no período chuvoso foi duas vezes maior que no período seco, sendo o maior número de coletas observado no mês de novembro. CONCLUSÕES: A presença de espécimes de P. megistus infectados por tripanosomatídeos em domicílios evidencia o potencial risco de infecção humana no DF. Dessa forma, é fundamental que continue a vigilância entomológica, intensificando-a no período chuvoso e nas regiões onde há maior ocorrência.

Palavras-chave : Controle da doença de Chagas; Vigilância entomológica; Triatomíneos sinatrópicos; Distrito Federal; Brasil.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons