SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue2Methicillin-resistant Staphylococcus aureus bloodstream infection: risk factors and clinical outcome in non-intensive-care unitsLeprosy in Buriticupu, state of Maranhão: active search in the general population author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Abstract

FONSECA, Fernanda Machado et al. Soroprevalência da infecção por Helicobacter pylori em indivíduos chagásicos e não-chagásicos da mesma região geográfica do Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.2, pp.194-198. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000200011.

INTRODUÇÃO: No presente estudo, foi comparada a soroprevalência da infecção por Helicobacter pylori entre os indivíduos chagásicos e não-chagásicos, bem como entre subgrupos de chagásicos com as formas clínicas indeterminada, cardíaca, digestiva e cardiodigestiva. MÉTODOS: Os indivíduos avaliados eram provenientes da região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil. Foram realizados testes sorológicos convencionais para diagnóstico da infecção pelo T. cruzi e os chagásicos foram classificados de acordo com a forma clínica. O diagnóstico de infecção por H. pylori foi estabelecido pela detecção de anticorpos IgG específicos utilizando-se um kit comercial de ELISA. RESULTADOS: A prevalência da infecção por H. pylorifoi 77,1% (239/310) no grupo de pacientes chagásicos e 69,1% (168/243) no grupo de não-chagásicos. Esta diferença foi estatisticamente significativa mesmo após ajuste para idade e sexo (OR = 1,57; 95% CI, 1,02-2,42; p = 0,04) na análise multivariada. A prevalência da infecção aumentou de acordo com a idade no grupo não-chagásicos (p = 0,007, χ2 for trend) mas este aumento não foi observado no grupo dos chagásicos (p = 0,15, χ2 for trend). Não houve associação da infecção por H. pylori com a forma digestiva ou com qualquer outra forma clínica da doença de Chagas (p = 0,27). CONCLUSÕES: Foi demonstrado que pacientes chagásicos apresentam maior prevalência da infecção por H. pylori quando comparados com não-chagásicos, independente da forma clínica da doença. Os fatores que contribuem para a frequente co-infecção Helicobacter pylori e Trypanosoma cruzi, bem como seus efeitos na evolução clínica das doenças associadas devem ser melhor estudados.

Keywords : Helicobacter pylori; Doença de Chagas; Formas clínicas da doença de Chagas crônica; Co-infecção.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License