SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número3Comparison between the spastic paraplegia rating scale, Kurtzke scale, and Osame scale in the tropical spastic paraparesis/myelopathy associated with HTLVSandfly fauna in an area endemic for visceral leishmaniasis in Aracaju, State of Sergipe, Northeast Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versión impresa ISSN 0037-8682

Resumen

QUEIROZ, Mirian Francisca Martins; VARJAO, Jane Ramos; MORAES, Sinara Cristina de  y  SALCEDO, Gladys Elena. Análise da fauna flebotomínica (Diptera: Psychodidae) em Barra do Garças, Estado de Mato Grosso, Brasil, e a influência das variáveis ambientais na densidade vetorial de Lutzomyia longipalpis (Lutz & Neiva,1912). Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.3, pp. 313-317. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000300007.

INTRODUÇÃO:Leishmanioses são doenças infecciosas e parasitárias de caráter zoonótico, não-contagiosas, transmitidas por vetores, causada por protozoários do gênero Leishmania. No Brasil, o principal vetor da Leishmania (Leishmania) infantum chagasi (Cunha & Chagas, 1934) é o Lutzomyia longipalpis. Barra do Garças, no Estado de Mato Grosso, é prioritária pelo Ministério da Saúde para a leishmaniose visceral americana, sendo importante conhecer as espécies de vetores presentes no município. O objetivo foi levantar os flebotomíneos e estudar a influência das variáveis ambientais sobre a densidade vetorial de L. longipalpis. MÉTODOS: Realizou-se um monitoramento entomológico em três bairros com registro de casos humanos de leishmaniose visceral americana. Utilizando armadilhas luminosas CDC, calculou-se a frequência relativa e riqueza de flebotomíneos e aplicou-se um modelo de função de transferência para verificar a correlação da densidade vetorial com a umidade relativa do ar. RESULTADOS: A fauna de flebotomíneos foi composta por 2 gêneros e 27 espécies, totalizando 8.097 indivíduos. No monitoramento prevaleceu L. longipalpis (44%), seguida por L. lenti (18,9%), L. whitmani (13,9%), L. carmelinoi (9,1%), L. evandroi (5,1%), L. termitophila (3,3%), L. sordellii (1,9%) e outras vinte espécies (abaixo de 4%). A proporção de machos para fêmeas foi 3,5:1. Observou-se uma alta diversidade de espécies (Dα=6,65). L. longipalpis apresentou picos de ocorrência durante a estação chuvosa; não havendo correlação temporal entre sua frequência e temperatura, mas sim com a umidade relativa do ar. CONCLUSÕES: A presença de L. longipalpis na área urbana de Barra do Garças, MT destaca a mudança do perfil da doença, antes restrita ao ambiente silvestre.

Palabras llave : Flebotomíneos; Leishmanioses; Séries temporais; Lutzomyia longipalpis.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés