SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número3Molecular characterization of Salmonella strains in individuals with acute diarrhea syndrome in the State of Sucre, VenezuelaOne-year cardiac morphological and functional evolution following permanent pacemaker implantation in right ventricular septal position in chagasic patients índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versión impresa ISSN 0037-8682

Resumen

NASCIMENTO, Karynne Alves do; MIRANZI, Sybelle de Souza Castro  y  SCATENA, Lúcia Marina. Perfil epidemiológico da doença meningocócica, no Estado de Minas Gerais e nas regiões Centro, Norte e Triângulo Mineiro, Brasil, de 2000 a 2009. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.3, pp. 334-339. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000300011.

INTRODUÇÃO: A infecção por Neisseria meningitidis, denominada doença meningocócica, pode causar meningite meningocócica e meningococcemia com ou sem meningite. A doença meningocócica é endêmica no Brasil; no entanto, o alto potencial de causar epidemias e letalidade elevada impõe a notificação imediata dos casos ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Brasil. O objetivo deste estudo foi descrever o perfil epidemiológico, utilizando registros de casos notificados e confirmados no Estado de Minas Gerais, Brasil, de janeiro de 2000 a dezembro de 2009, obtidos a partir da ficha individual de investigação de meningites registrada no SINAN. M ÉTODOS: Trata-se de um estudo retrospectivo, de base populacional. Foram realizadas análises descritivas dos dados, a partir das frequências simples absolutas e relativas para as variáveis categóricas da ficha de investigação e teste qui-quadrado. RESULTADOS: Houve 1.688 casos confirmados em Minas Gerais, dos quais 45,5% residiam no centro, norte e Triângulo Mineiro. As maiores frequências foram nos pacientes do grupo etário de 1 a 4 anos (26,3%), sexo masculino (54,7%), brancos (36,4%) e residiam em zona urbana (80%). Dos casos com escolaridade especificada, 650 (60,9%) casos cursaram ensino médio completo. Foram sorogrupados e classificados segundo idade e sexo 500 (29,6%) casos, e desses 285 (57%) foram sorogrupo C, 67 (13,4%) da faixa etária de 1 a 4 anos e 168 (33,6%) do sexo masculino. CONCLUSÕES: O perfil epidemiológico dos casos nas regiões centro e norte e Triângulo Mineiro não apresentaram diferenças importantes comparado ao perfil dos casos de Minas Gerais.

Palabras llave : Meningite meningocócica; Epidemiologia; Vigilância epidemiológica.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés