SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número3Spatial analysis of new cases of leprosy in the State of Espírito Santo, Brazil, between 2004 and 2009Observation of initial clinical manifestations and repercussions from the treatment of 314 human injuries caused by black sea urchins (Echinometra lucunter) on the southeastern Brazilian coast índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versión impresa ISSN 0037-8682

Resumen

MATOS, Wilma Batista de et al. Paracoccidioidomicose no Estado do Maranhão, Brasil: aspectos geográficos e clínicos. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.3, pp. 385-389. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000300020.

INTRODUÇÃO: O estudo teve o objetivo de mostrar a situação da paracoccidioidomicose no Estado do Maranhão, Brasil. MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo do tipo série de casos, desenvolvido em duas etapas: na primeira, levantamento de casos originários do Maranhão, atendidos no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela, Piauí (IDTNP), de 1997 a 2007; na segunda, descrição clínica de 29 casos diagnosticados no Centro de Referência em Doenças Infecciosas e Parasitárias, Maranhão (CREDIP), no período de 2004 a 2010. RESULTADOS: Foram catalogados 216 casos no IDTNP. As regiões Oeste, Leste e Centro do Maranhão registraram 90,3% destes casos, demonstrando serem áreas importantes para estudo. A região oeste, com prevalência de 10,8/100.000 habitantes, apresenta proporção de casos significativamente maior que as regiões Norte, Sul e Leste (p<0,05). A ocorrência foi maior em indivíduos do sexo masculino (89,3% dos casos), sendo a proporção entre homens e mulheres de 8,4:1. A maioria dos acometidos possuía mais de 20 anos, residia na zona rural e tinha como principal ocupação a lavoura ou o manejo do solo (73,8%). Foram diagnosticados 29 casos no CREDIP, dos quais 26 (89,6) tinham manifestações multifocais. O acometimento mais comum foi de mucosas (75,8%), seguindo-se gânglios, pele e pulmões com 62%, 39% e 34,7%, respectivamente. A confirmação do diagnóstico foi feita pela combinação de exame micológico direto, cultura e histopatológico. CONCLUSÕES: O estudo mostra a distribuição geográfica, os aspectos epidemiológicos e clínicos da paracoccidioidomicose, revelando a importância da doença no Estado do Maranhão.

Palabras llave : Paracoccidioidomicose; Estado do Maranhão; Epidemiologia.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés