SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número4Descriptive study of HTLV infection in a population of pregnant women from the state of Pará, Northern BrazilHepatitis B virus infection in a population exposed to occupational hazards: firefighters of a metropolitan region in central Brazil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versión impresa ISSN 0037-8682

Resumen

COSTA, Cristóvão Alves da  y  KIMURA, Lucinete Okamura. Epidemiologia molecular do vírus da hepatite B em população indígena em torno dos Rios Curuçá e Itaquaí, Vale do Javari, Estado do Amazonas, Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.4, pp.457-462. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012000400008.

INTRODUÇÃO: A infecção pelo vírus da hepatite B (VHB) é um dos mais sérios problemas de saúde pública do mundo. No Brasil, a endemicidade do VHB é heterogênea, sendo a doença mais prevalente na região norte do país. MÉTODOS: Neste estudo, foram investigadas 180 amostras de sangue por meio da técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR) e PCR semi-nested para o vírus da hepatite B, gene S, com o intuito de determinar a prevalência do DNA (ácido desoxirribonucléico) do vírus da hepatite B em povos de etnias indígenas habitantes dos Rios Curuçá e Itaquaí no Vale do Javari, Estado do Amazonas, Brasil. RESULTADOS: A prevalência encontrada para o DNA-VHB gene S foi de 51,1% (92/180). Entre as amostras positivas 18/49 (36,7%) pertenciam à etnia Marubo, 68/125 (54,4%) à Kanamary e 6/6 (100%) a outras etnias. Não houve diferença significante ao nível de 5% em relação ao gênero (p=0,889). Os indígenas com PCR positiva para DNA-VHB apresentaram mediana de idade menor de 23 anos (p<0,001). Não foi constatado nenhuma diferença estatística em relação às fontes de contágio e o resultado da PCR, como também aos aspectos clínicos, com exceção da febre (p<0,001). A alta prevalência do DNA-VHB de 75% (15/20) em gestantes (p=0,009) demonstra associação com a transmissão vertical. CONCLUSÕES: Os resultados comprovam a alta prevalência do DNA-VHB no Vale do Javari, tornando-se importante traçar estratégias de controle e prevenção mais eficazes no combate à disseminação do VHB.

Palabras clave : Vírus da hepatite B; Diagnóstico do DNA-VHB PCR; Prevalência do DNA-VHB; População indígena.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons