SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 número4Nosocomial infections in a pediatric intensive care unit of a developing country: NHSN surveillanceIn vitro action of antiparasitic drugs, especially artesunate, against Toxoplasma gondii índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versión impresa ISSN 0037-8682

Resumen

SILVA, João Pereira da et al. Fatores associados à infecção por Leishmania chagasi em cães domiciliados de Teresina, Estado do Piauí, Brasil. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [online]. 2012, vol.45, n.4, pp. 480-484.  Epub 26-Jul-2012. ISSN 0037-8682.  http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822012005000009.

INTRODUÇÃO: Diversos estudos avaliaram fatores de risco para leishmaniose visceral humana, mas poucos focalizaram a infecção canina. O objetivo deste estudo é avaliar a associação entre condições sócio-ambientais peridomiciliares e a presença de cães sorologicamente positivos para Leishmania chagasi em Teresina, Brasil. MÉTODOS: Estudo caso-controle baseado nos resultados de inquérito soroepidemiológico de rotina entre cães domésticos no ano de 2007. O exame sorológico foi realizado por meio de reação de imunofluorescência indireta. Foram consideradas como casos todas as residências que albergassem pelo menos um cão soropositivo, enquanto o grupo controle correspondeu a uma amostra aleatória das residências onde somente cães soronegativos foram registrados. Associações entre as variáveis foram expressas por meio da razão de chance ou odds ratio (OR) e respectivos intervalos de 95% de confiança (IC95%) estimados mediante regressão logística multivariada. RESULTADOS: Residências com história de pelo menos um cão recolhido pelo programa de controle da leishmaniose visceral nos últimos 12 meses apresentaram chance cerca de 5 vezes mais alta de terem cães infectados em comparação com residências sem história de cães removidos no período (OR = 5,19; IC95% = 3,20-8,42). Residências com presença de gatos apresentaram chance 58% mais alta de terem cães infectados em comparação com aquelas sem gatos (OR = 1,58; IC95% = 1,01-2,47). CONCLUSÕES: A identificação de fatores associados à leishmaniose visceral canina pode ser útil para a delimitação de áreas sob maior risco para leishmaniose visceral humana, na medida em que a infecção canina geralmente precede a ocorrência de casos humanos.

Palabras llave : Leishmaniose visceral canina; Fatores de risco; Epidemiologia; Estudos caso-controle; Vigilância epidemiológica.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés     · pdf en Inglés