SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 issue5Normal bone density in male pseudohermaphroditism due to 5alpha- reductase 2 deficiencyVancomycin monitoring in term newborns: comparison of peak and trough serum concentrations determined by high performance liquid chromatography and fluorescence polarization immunoassay author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Hospital das Clínicas

Print version ISSN 0041-8781

Abstract

ALBANO, Lilian M. J. et al. Ataxia de Friedreich: estudo clínico e molecular de 25 pacientes. Rev. Hosp. Clin. [online]. 2001, vol.56, n.5, pp. 143-148. ISSN 0041-8781.  http://dx.doi.org/10.1590/S0041-87812001000500003.

INTRODUÇÃO: A ataxia de Friedreich é uma doença neurodegenerativa e os critérios clínicos diagnósticos para os casos típicos incluem: a) idade de início precoce (< 20 ou 25 anos); b) herança autossômica recessiva; c) ataxia progressiva; e d) abolição dos reflexos tendinosos profundos. MÉTODOS: Estudou-se a freqüência e o tamanho das expansões GAA e a sua influência nos achados neurológicos, idade de início e progressão da doença, em 25 pacientes brasileiros com diagnóstico clínico de ataxia de Friedreich - 19 típicos e 6 atípicos, por PCR. RESULTADOS: Anormalidades sugestivas de comprometimento cerebelar, no ECG e a presença de pés cavos ocorreram com maior freqüência nos casos típicos; contudo, a resposta plantar e a fala mostraram-se mais freqüentemente normal neste grupo, quando comparados casos típicos e atípicos. A expansão GAA em homozigose foi detectada em 17 casos (68%) - todos típicos e, em 8 (32%) (6 atípicos e 2 típicos), não foi observada nenhuma expansão, excluindo-se o diagnóstico de ataxia de Friedreich. Deformidade de pés, anormalidades cardíacas e alguns achados neurológicos ocorreram mais freqüentemente, nos casos com expansão GAA, contudo, sinais de comprometimento dos pares cranianos e alterações dos achados tomográficos foram detectados menos frequentemente do que em pacientes sem expansão. DISCUSSÃO: A análise molecular é imprescindível para o diagnóstico de ataxia de Friedreich, não só para os casos típicos como também para os atípicos. Não há qualquer correlação entre o genótipo e o fenótipo. O diagnóstico baseado apenas nos achados clínicos é limitado, embora facilite a triagem para melhor selecionar os casos suspeitos que merecem ser testados. A dosagem sérica da vitamin E é recomendada , especialmente nos casos sem expansão GAA.

Keywords : Ataxia de Friedreich; Expansão de trinucleotídios; Expansão GAA.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English