SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 issue5Induction of experimental mammary carcinogenesis in rats with 7,12-dimethylbenz(a)anthraceneRenal and urinary findings in 20 patients with Williams-Beuren syndrome diagnosed by fluorescence in situ hybridization (FISH) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Hospital das Clínicas

Print version ISSN 0041-8781

Abstract

SOUTO, Carlos Ary Vargas et al. Sete ou quatorze dias para a retirada da sonda vesical de demora após prostatectomia radical retropúbica: implicações clínicas e complicações em um estudo randomizado. Rev. Hosp. Clin. [online]. 2004, vol.59, n.5, pp. 262-265. ISSN 0041-8781.  http://dx.doi.org/10.1590/S0041-87812004000500007.

OBJETIVO: Avaliar a hipótese de que um período de sete dias de sonda vesical de demora após prostatectomia radical retropúbica é efetivo e seguro, sem a necessidade da realização de cistografia. MÉTODOS: Entre janeiro de 2000 e julho de 2002, setenta e três pacientes submetidos à prostatectomia radical retropúbica foram prospectivamente randomizados em dois grupos: grupo 1 - 37 pacientes em que a sonda vesical foi removida 7 dias após o procedimento e, grupo 2 - 36 nos quais a sonda foi removida 14 dias após a cirurgia. Os dois grupos apresentavam características clínicas similares, os cirurgiões e técnicas foram as mesmas, e nenhuma cistografia foi realizada para avaliar a presença de vazamentos. RESULTADOS: Dois pacientes no grupo 1 apresentaram sangramento e retenção por coágulos após a retirada da sonda no sétimo dia pós-operatório, e foram manejados através da recolocação da sonda vesical por mais 7 dias. Dois pacientes do grupo 2 desenvolveram esclerose do colo vesical e foram tratados através de incisão do colo vesical com sucesso. A taxa de continência foi a mesma, com dois casos de incontinência em cada grupo. Em torno de duas fraldas por dia eram utilizadas pelos pacientes com incontinência. O seguimento médio foi de 17.5 meses (2 - 30 meses). Não houve formação de fístula urinária, urinoma ou abcesso pélvico após a retirada da sonda vesical. Dois pacientes foram excluidos da análise desta série: um faleceu devido a embolia pulmonar no terceiro dia pós-operatório, e o outro desenvolveu fístula urinária suprapúbica antes da retirada do cateter, que foi mantido por 16 dias. CONCLUSÃO: A retirada da sonda vesical 7 dias após a prostatectomia radical retropúbica, sem realização de cistografia, tem uma baixa taxa de complicações de curto prazo, equivalentes às da retirada da sonda aos 14 dias de pós-operatório.

Keywords : Câncer de próstata; Prostatectomia radical; Sondagem vesical; Próstata; Retirada da sonda vesical.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English