SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 número5Indução da carcinogênese mamária experimental em ratas com 7,12-dimetilbenz(a)antracenoAchados renais e urinários em 20 pacientes com síndrome de Williams-Beuren diagnosticados pelo teste de hibridização in situ por fluoresceína (FISH) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista do Hospital das Clínicas

versão impressa ISSN 0041-8781

Resumo

SOUTO, Carlos Ary Vargas et al. Sete ou quatorze dias para a retirada da sonda vesical de demora após prostatectomia radical retropúbica: implicações clínicas e complicações em um estudo randomizado. Rev. Hosp. Clin. [online]. 2004, vol.59, n.5, pp. 262-265. ISSN 0041-8781.  http://dx.doi.org/10.1590/S0041-87812004000500007.

OBJETIVO: Avaliar a hipótese de que um período de sete dias de sonda vesical de demora após prostatectomia radical retropúbica é efetivo e seguro, sem a necessidade da realização de cistografia. MÉTODOS: Entre janeiro de 2000 e julho de 2002, setenta e três pacientes submetidos à prostatectomia radical retropúbica foram prospectivamente randomizados em dois grupos: grupo 1 - 37 pacientes em que a sonda vesical foi removida 7 dias após o procedimento e, grupo 2 - 36 nos quais a sonda foi removida 14 dias após a cirurgia. Os dois grupos apresentavam características clínicas similares, os cirurgiões e técnicas foram as mesmas, e nenhuma cistografia foi realizada para avaliar a presença de vazamentos. RESULTADOS: Dois pacientes no grupo 1 apresentaram sangramento e retenção por coágulos após a retirada da sonda no sétimo dia pós-operatório, e foram manejados através da recolocação da sonda vesical por mais 7 dias. Dois pacientes do grupo 2 desenvolveram esclerose do colo vesical e foram tratados através de incisão do colo vesical com sucesso. A taxa de continência foi a mesma, com dois casos de incontinência em cada grupo. Em torno de duas fraldas por dia eram utilizadas pelos pacientes com incontinência. O seguimento médio foi de 17.5 meses (2 - 30 meses). Não houve formação de fístula urinária, urinoma ou abcesso pélvico após a retirada da sonda vesical. Dois pacientes foram excluidos da análise desta série: um faleceu devido a embolia pulmonar no terceiro dia pós-operatório, e o outro desenvolveu fístula urinária suprapúbica antes da retirada do cateter, que foi mantido por 16 dias. CONCLUSÃO: A retirada da sonda vesical 7 dias após a prostatectomia radical retropúbica, sem realização de cistografia, tem uma baixa taxa de complicações de curto prazo, equivalentes às da retirada da sonda aos 14 dias de pós-operatório.

Palavras-chave : Câncer de próstata; Prostatectomia radical; Sondagem vesical; Próstata; Retirada da sonda vesical.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês