SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.88 issue4Blood pressure measurement in children and adolescents: guidelines of high blood pressure recommendations and current clinical practiceMulti-arterial myocardial bridge: uncommon clinical and anatomical presentations author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Print version ISSN 0066-782X

Abstract

BENVENUTI, Luiz Alberto  and  GUTIERREZ, Paulo Sampaio. Lesões epicárdicas na cardiopatia chagásica são reflexo de processo inflamatório. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2007, vol.88, n.4, pp. 496-498. ISSN 0066-782X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2007000400022.

OBJETIVO: Fornecer descrição anatomopatológica detalhada das lesões epicárdicas na cardiopatia chagásica crônica, avaliar sua incidência e discutir sua provável patogênese. MÉTODOS: Foram examinados os corações de 39 pacientes portadores de cardiopatia chagásica crônica submetidos a necropsia, com exame histológico das lesões epicárdicas. RESULTADOS: Manchas lácteas, caracterizadas por áreas bem definidas de cor branca do epicárdio, foram observadas em 80% dos casos, predominantemente na face anterior do ventrículo direito. Histologicamente, foi observado abrupto espessamento fibroso do epicárdio, não havendo fibras elásticas, processo inflamatório ou vasos sangüíneos. Rosário chagásico, caracterizado por pequenos grânulos esbranquiçados, arredondados, seqüencialmente dispostos ao longo dos vasos coronarianos, esteve presente em 23% dos corações. Apresentavam a mesma estrutura histológica que as manchas lácteas, mas de forma intrigante ocorriam apenas imediatamente acima de ramos arteriais coronarianos. Placa vilosa esteve presente na ponta ou na face anterior de 21% dos corações, caracterizando-se pelo aspecto exofítico, provavelmente em decorrência da adesão pericárdica prévia localizada. À microscopia, foram observados focos de infiltrado inflamatório e proliferação vascular, típicos de epicardite em organização. Além das lesões descritas, havia células inflamatórias mononucleares esparsas, com agrupamentos focais, no epicárdio de praticamente todos os casos. CONCLUSÃO: Concluímos que as lesões epicárdicas da cardiopatia chagásica crônica são provavelmente conseqüentes à reação do epicárdio ao processo inflamatório crônico.

Keywords : Doença de Chagas; cardiopatia chagásica crônica; epicárdio; rosário chagásico.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese