SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.98 número4Função diastólica do ventrículo esquerdo em obesos graves em pré-operatório para cirurgia bariátricaA influência do genótipo da ECA sobre a aptidão cardiovascular de jovens do sexo masculino moderadamente ativos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782X

Resumo

PETRIBU, Marina de Moraes Vasconcelos et al. Prevalência de obesidade visceral estimada por equação preditiva em mulheres jovens pernambucanas. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2012, vol.98, n.4, pp. 307-314.  Epub 08-Mar-2012. ISSN 0066-782X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000023.

FUNDAMENTO: O acúmulo de gordura visceral é considerado o principal fator de risco para doenças cardiovasculares e metabólicas. OBJETIVO: Determinar a prevalência de obesidade visceral e avaliar sua associação com fatores de risco cardiovasculares em mulheres jovens do Estado de Pernambuco. MÉTODOS: Estudo transversal, realizado com dados da "III Pesquisa Estadual de Saúde e Nutrição", envolvendo mulheres entre 25 e 36 anos. Avaliaram-se as variáveis: Índice de Massa Corporal (IMC), Circunferência da Cintura (CC), Razão Cintura-Estatura (RCE), Volume de Gordura Visceral (VGV) estimado por equação preditiva, Pressão Arterial Sistólica e Diastólica (PAS, PAD), Colesterol Total (CT), Triglicerídeo (TG), Glicemia de Jejum (GJ). RESULTADOS: Foram avaliadas 517 mulheres, com mediana de idade de 29 anos (27-32) e prevalência de obesidade visceral de 30,6%. Valores de IMC, PAS, PAD e TG foram superiores no grupo com obesidade visceral: IMC = 28,0 kg/m2 (25,0 - 21,4) vs 23,9 kg/m2 (21,5 - 26,4); PAS = 120,0 mmHg (110,0 - 130,0) vs 112,0 mmHg (100,0 - 122,0); PAD = 74 mmHg (70 - 80) vs 70 mmHg (63 - 80); TG = 156,0 mg/dL (115,0 - 203,2) vs 131,0 mg/dL (104,0 - 161,0), respectivamente, p < 0,01. Idade, PAS, PAD, TG e CT apresentaram correlação positiva e significante com o VGV: r = 0,171; 0,224; 0,163; 0,278; 0,124; respectivamente, p < 0,005. CONCLUSÃO: Verificou-se uma elevada prevalência de obesidade visceral, estando estatisticamente correlacionada a fatores de risco cardiovasculares.

Palavras-chave : Gordura subcutânea abdominal; prevalência; fatores de risco; doenças cardiovasculares; indice de massa corporal; pressão arterial; dislipidemias; mulheres.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês