SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.99 issue4Lack of tight association between quality of life and exercise capacity in pulmonary arterial hypertensionInsulin resistance can impair reduction on carotid intima-media thickness in obese adolescents author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Print version ISSN 0066-782X

Abstract

COSTA, Elide Sbardellotto Mariano da et al. Avaliação da doença vascular do enxerto no transplante cardíaco: experiência de um centro brasileiro. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2012, vol.99, n.4, pp. 886-891.  Epub Sep 06, 2012. ISSN 0066-782X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000084.

FUNDAMENTO: O transplante cardíaco continua sendo o tratamento de escolha para a insuficiência cardíaca refratária ao tratamento otimizado. Dois métodos diagnósticos apresentam elevada sensibilidade no diagnóstico de episódios de rejeição ao enxerto e Doença Vascular do Enxerto (DVE), causas importantes de mortalidade no pós-transplante. OBJETIVO: Avaliar a relação entre os resultados do ultrassom intracoronariano (USIV) e os laudos das biópsias endomiocárdicas (BX) no seguimento de pacientes submetidos a transplante cardíaco em um serviço de referência brasileiro. MÉTODOS: Foi realizado um ensaio epidemiológico retrospectivo observacional, com pacientes submetidos a transplante cardíaco ortotópico, no período de 2000 a 2009. Foram analisados os prontuários desses pacientes e os resultados dos USIV e BX realizados rotineiramente no seguimento clínico pós-transplante e terapêutica em uso. RESULTADOS: Dos 77 pacientes analisados, 63,63% são do sexo masculino, nas faixas etárias de 22 a 69 anos. Quanto aos resultados dos USIV, 33,96% foram classificados em Stanford classe I, e 32,08%, como Stanford IV. Dos 143 laudos das biópsias, 51,08% tiveram resultado 1R, 3R em 0,69% dos laudos, e 14,48% apresentaram a descrição de efeito Quilty. Todos usaram antiproliferativos, 80,51% usaram inibidores da calcineurina e 19,48% usaram inibidores do sinal de proliferação (ISP). CONCLUSÃO: A avaliação dos pacientes pós-transplante cardíaco por meio do USIV incorpora informações detalhadas para o diagnóstico precoce e sensível da DVE, que são complementadas pelas informações histológicas fornecidas pelas BX, estabelecendo uma possível relação causal entre a DVE e os episódios de rejeição humoral.

Keywords : Doenças vasculares [complicações]; doenças vasculares [mortalidade]; avaliação; transplante de coração [estatística e dados numéricos]; ultrasonografia; Brasil.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese