SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.99 issue4Simplified International Index of Erectile Function (IIEF-5) and coronary artery disease in hypertensive patientsIdentification of cardiovascular risk factors in parents/caregivers of children with heart diseases author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Print version ISSN 0066-782X

Abstract

BRANDAO, Augusto Henriques Fulgêncio; CABRAL, Marcelo Araújo; LEITE, Henrique Vitor  and  CABRAL, Antônio Carlos Vieira. Função endotelial, perfusão uterina e fluxo central em gestações complicadas por Pré-Eclampsia. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2012, vol.99, n.4, pp. 931-935.  Epub Sep 13, 2012. ISSN 0066-782X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000087.

FUNDAMENTO: A fisiopatologia da Pré-Eclampsia (PE) é caracterizada por deficiência no processo de placentação, disfunção endotelial sistêmica e hiperfluxo do Sistema Nervoso Central (SNC). Do ponto de vista clínico, seria interessante determinar a ocorrência desses fenômenos antes do aparecimento das manifestações clínicas da doença, levantando a possibilidade de novos métodos de predição da PE. OBJETIVO: Comparar o processo de placentação, a função endotelial e o hiperfluxo do SNC em gestantes de alto risco para desenvolvimento de PE que posteriormente desenvolveram ou não a síndrome. MÉTODOS: Um total de 74 gestantes foi submetido ao exame de Dilatação Fluxo-Mediada (DFM) da artéria braquial, dopplerfluxometria de artérias uterinas e oftálmica para avaliação da função endotelial, processo de placentação e hiperfluxo central, respectivamente. Os exames foram realizados entre 24 e 28 semanas de gestação e as pacientes foram acompanhadas até o puerpério para coleta de dados. RESULTADOS: Quinze pacientes tiveram a gestação complicada pela PE e 59 se mantiveram normotensas até o puerpério. Pacientes que subsequentemente desenvolveram PE apresentaram entre 24 e 28 semanas de gestação, maiores valores no índice de pulsatilidade das artérias uterinas e menores valores de DFM (p < 0,001 e p = 0,001, respectivamente). Entretanto, não houve diferença nos valores obtidos no índice de resistência da artéria oftálmica (p = 0,08). CONCLUSÃO: Os dados obtidos sugerem que a deficiência no processo de placentação e a disfunção endotelial precedem cronologicamente as manifestações clínicas da PE, o que não ocorre com o hiperfluxo do SNC.

Keywords : Pré-eclampsia [fisiopatologia]; endotélio [anormalidades]; gestação de alto risco; placentação; sistema nervoso central.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese