SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 issue3Women living with aids and the family health program professionals: disclosing the diagnosisNurses in leading positions and measures to prevent occupational exposure: facilities and barriers author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

COLOMBRINI, Maria Rosa Ceccato; DELA COLETA, Marília Ferreira  and  LOPES, Maria Helena Baena de Moraes. Fatores de risco para a não adesão ao tratamento com terapia antiretroviral altamente eficaz. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2008, vol.42, n.3, pp. 490-495. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342008000300011.

O estudo objetivou: mensurar a prevalência de não-adesão à terapia anti-retroviral altamente eficaz (HAART) em pacientes com AIDS; identificar se alguns fatores relacionados na literatura estavam associados com a não-adesão; estabelecer o valor preditivo dos fatores associados à não-adesão à HAART. Foi realizado um estudo analítico de prevalência (N=60). Foram considerados os três dias anteriores à entrevista e os pacientes classificados como aderentes quando ingeriam 95% ou mais do total de comprimidos prescritos por dia. A adesão foi de 73,3%. A análise de regressão logística multivariada indicou que indivíduos da raça negra apresentaram 6,48 vezes mais risco de não-adesão; aqueles que apresentaram ausência de efeito colateral tiveram um risco 7,6 vezes maior, e a cada comprimido ingerido o risco foi de 1,12. A adesão observada foi maior que a encontrada na literatura. Os fatores sociodemográficos e culturais podem interferir na adesão à HAART.

Keywords : Síndrome de imunodeficiência adquirida; Terapia anti-retroviral de alta atividade; Recusa do paciente ao tratamento; Fatores de risco.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese