SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 issue3Technology and humanization of the Neonatal Intensive Care Unit: reflections in the context of the health-illness processCare, self-care and caring for yourself: a paradigmatic understanding thought for nursing care author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

MARODIN, Gabriela  and  GOLDIM, José Roberto. Confusões e ambigüidades na classificação de eventos adversos em pesquisa clínica. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2009, vol.43, n.3, pp. 690-696. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000300027.

É comum considerar ambíguo como sinônimo de confuso. Em uma informação confusa, várias informações têm um mesmo significado. Na informação ambígua, ao contrário, vários significados são atribuídos a uma mesma palavra. Informações excessivas também geram ambiguidade, daí a necessidade de concisão e clareza na linguagem. O termo evento adverso (EA) é definido como qualquer ocorrência médica inconveniente, sofrida por um sujeito da pesquisa em investigação clínica. A confusão e a ambiguidade no uso de palavras podem gerar conseqüências importantes na valorização de EAs. O objetivo deste estudo, de natureza teórica, é harmonizar o vocabulário utilizado na caracterização dos riscos e na comunicação de EAs na pesquisa clínica. Os EAs podem ser classificados quanto à previsibilidade, frequência, gravidade, causalidade e seriedade. Muitas vezes, em documentos regulatórios, os EAs são definidos em função da seriedade e causalidade. A harmonização do vocabulário na comunicação de EAs é fundamental para evitar a utilização equivocada de palavras com sentido confuso, ou ambíguo.

Keywords : Pesquisa biomédica; Ética em pesquisa; Bioética; Sujeitos da pesquisa.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese