SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue1Personal and professional nuances of nurses who perform administration functions in the university hospitalPrejudice in nursing: perception of nurses educated in different decades author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

OLIVEIRA, Adriana Cristina; CARDOSO, Clareci Silva  and  MASCARENHAS, Daniela. Precauções de contato em Unidade de Terapia Intensiva: fatores facilitadores e dificultadores para adesão dos profissionais. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2010, vol.44, n.1, pp. 161-165. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000100023.

Objetivou-se identificar os fatores que facilitam ou dificultam a adesão às precauções de contato, por parte de profissionais de um Centro de Terapia Intensiva de hospital geral. Tratou-se de um estudo transversal, realizado de maio a outubro de 2007, utilizando-se um questionário semi-estruturado para coleta de dados. Participaram do estudo 102 profissionais: técnico de enfermagem (54,9%), enfermeiro (12,7%), médico preceptor (10,8%), fisioterapeuta aprimorando (8,8%), fisioterapeuta preceptor (7,8%) e médico residente (4,9%). Os fatores dificultadores para a adesão à higienização das mãos foram o esquecimento, falta de conhecimento, distância da pia, irritação da pele e falta de materiais. O uso do capote apresentou maior dificuldade (45%) pela sua ausência no box, acondicionamento inadequado, calor, e ao seu uso coletivo. O uso de luvas foi a conduta de maior facilidade na prática cotidiana. Os resultados deste estudo apontam a necessidade de implementar medidas de precaução a fim de minimizar a disseminação de microrganismos resistentes.

Keywords : Unidades de Terapia Intensiva; Infecção hospitalar; Fatores de risco.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese