SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue4Evaluation of the nutritional risk in elderly assisted by Family Health TeamsNursing outcome indicator validation for patients with orthopedic problems author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

AMADUCCI, Camila de Moraes; MOTA, Dálete Delalibera Faria de Correa  and  PIMENTA, Cibele Andrucioli de Mattos. Fadiga entre estudantes de graduação em enfermagem. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2010, vol.44, n.4, pp. 1052-1058. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000400028.

A fadiga entre os estudantes pode prejudicar a aprendizagem. Avaliou-se a fadiga de graduandos de enfermagem e as relações com o ano de graduação, a participação em atividades extracurriculares, com quem o aluno reside, com a depressão e o índice de massa corporal (IMC). Participaram 189 (60,2%) estudantes da EEUSP, sendo 96,2% de mulheres com idade média de 21,6 anos, 80,9% residiam com os pais, 43,9% realizavam atividades extracurriculares, 24,8% tinham IMC alterado e 22,2% apresentaram disforia ou depressão (Inventário de Depressão de Beck). A fadiga foi moderada/ intensa para 83,5% dos estudantes (Escala de Fadiga de Piper Revisada e Pictograma de Fadiga) e 59,8% relataram prejuízo moderado/intenso nas atividades habituais. A fadiga apresentou correlação positiva com ano de graduação, com o IMC e a depressão (p<0,001). A atividade acadêmica foi a principal causa de fadiga, enquanto o sono e o lazer foram as estratégias mais utilizadas para seu manejo. A fadiga foi significativa e intensa, todavia observou-se descompasso entre freqüência, magnitude e impacto da fadiga nas atividades da vida diária.

Keywords : Fadiga; Estudantes de enfermagem; Aprendizagem; Atividades cotidianas.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese