SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue3The teaching-learning process in mental health: the student’s perspective about psychosocial rehabilitation and citizenshipWork as a source of pleasure: evaluating a Psychosocial Care Center team author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

NICOLINO, Paula Silva et al. Esquizofrenia: adesão ao tratamento e crenças sobre o transtorno e terapêutica medicamentosa. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2011, vol.45, n.3, pp. 708-715. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000300023.

Este estudo verificou a adesão de pessoas com esquizofrenia à medicação, identificou e comparou as crenças sobre transtorno e medicamento entre pacientes aderentes e não aderentes. Participaram do estudo 14 pacientes de um ambulatório de psiquiatria. Foi realizada entrevista semi-estruturada e aplicação do Teste de Morisky-Green. Os dados foram analisados com abordagem quali-quantitativa. Os resultados revelaram que 64,3% dos pacientes não aderem ao medicamento. A maioria dos entrevistados considerou a medicação capaz de reduzir a seriedade e severidade do transtorno. Entretanto, entre pacientes não aderentes, as barreiras no seguimento da terapêutica foram mais expressivas. Efeitos colaterais foram razão para descontinuidade do tratamento em 80% dos pacientes não aderentes intencionalmente. Observou-se conhecimento insuficiente sobre a esquizofrenia e tratamento medicamentoso. A fé foi mencionada pelos pacientes como estratégia para enfrentamento do processo vivenciado. Este estudo aponta para a necessidade de estratégias direcionadas à promoção da adesão ao medicamento entre pessoas com esquizofrenia.

Keywords : Esquizofrenia; Terapêutica; Esquema de medicação; Adesão à medicação; Relações interpessoais.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese