SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.45 issue4The vulnerability experienced by the family of children hospitalized in a pediatric intensive care unitUnderstanding nurses' awareness as to the use of therapeutic play in child care author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Escola de Enfermagem da USP

Print version ISSN 0080-6234

Abstract

MOURA, Louise Amália de; OLIVEIRA, Ana Carolina D'Arelli de; PEREIRA, Gilberto de Araújo  and  PEREIRA, Lílian Varanda. Dor pós-operatória em crianças: uma abordagem de gênero. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2011, vol.45, n.4, pp. 833-838. ISSN 0080-6234.  http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000400006.

O objetivo do estudo foi verificar e descrever, sob o enfoque de gênero, as associações entre o sexo e as variáveis específicas da dor pós-operatória em pediatria. Corte transversal com 77 crianças, com idades entre seis e 13 anos (M=9 anos; dp=2,2 anos), ASA I e II, 77,9% pertencentes às classes socioeconômicas C e D, 68,8% meninos e 32,8% meninas. Os dados foram coletados no primeiro dia pós-operatório, por meio de entrevista semi-estruturada e quatro escalas de medida. As principais doenças de base foram adenoamigdalite e fraturas. A prevalência de dor foi de 91,7% para meninas e 75,5% para meninos (p>0,05). Não houve associação entre intensidade de dor e sexo; as palavras mais utilizadas para descrever a dor foram corta e aperta. A escala preferida foi a Escala de Faces do Cebolinha e da Mônica. O manejo da dor em pediatria ainda é inadequado e o gênero pode influenciar na resposta dor.

Keywords : Criança; Dor pós-operatória; Medição da dor; Identidade de gênero; Enfermagem pediátrica.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese