SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51Adherence and factors related to acceptance of alcohol for antiseptic hand rubbing among nursing professionalsMedo de cair em idosos residentes no domicílio: fatores associados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Escola de Enfermagem da USP

versão impressa ISSN 0080-6234versão On-line ISSN 1980-220X

Resumo

ZIZZI, Priscila Tavares et al. Força muscular perineal e incontinência urinária e anal em mulheres após o parto: estudo transversal. Rev. esc. enferm. USP [online]. 2017, vol.51, e03214.  Epub 10-Abr-2017. ISSN 1980-220X.  https://doi.org/10.1590/s1980-220x2016209903214.

OBJETIVO

Analisar a força dos músculos do assoalho pélvico e a incontinência urinária e anal no período pós-parto.

MÉTODO

Estudo transversal realizado com mulheres nos primeiros 7 meses após o parto. Os dados foram coletados por meio de entrevista, da perineometria (Peritron™) e do International Consultation on Incontinence Questionnaire-Short Form (ICIQ-SF).

RESULTADOS

Participaram do estudo 128 mulheres. A média da força dos músculos do assoalho pélvico foi 33,1 (d.p.=16,0) cmH2O e a prevalência de incontinência urinária e incontinência anal foi de 7,8% e 5,5%, respectivamente. Na análise múltipla, as variáveis associadas à força dos músculos do assoalho pélvico foram tipo de parto atual e coabitação com o parceiro. Peso do recém-nascido, gestação anterior, incontinência urinária na gestação e atividade sexual mostraram associação. Apenas a incontinência anal prévia à gestação associou-se à incontinência anal após o parto.

CONCLUSÃO

O parto vaginal predispõe à redução da força dos músculos do assoalho pélvico, e a cesariana exerce função protetora à sua redução. A ocorrência de incontinência urinária na gestação é preditora da incontinência urinária após o parto, e as mulheres com gestação anterior e recém-nascido de maior peso têm maior propensão em apresentar incontinência urinária após o parto. Incontinência anal prévia à gestação é o único fator de risco para sua ocorrência após o parto. As associações entre força dos músculos do assoalho pélvico e coabitação com o parceiro e entre incontinência urinária e atividade sexual não permitem concluir que essas variáveis estejam diretamente relacionadas.

Palavras-chave : Incontinência Urinária; Incontinência Fecal; Período Pós-Parto; Força Muscular; Enfermagem Obstétrica.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )