SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue1Butterflies (Lepidoptera, Papilionoidea and Hesperioidea) of the "Baixada Santista" region, coastal São Paulo, southeastern BrazilEpigean ant communities in Atlantic Forest remnants of São Paulo: a comparative study using the guild concept author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Entomologia

Print version ISSN 0085-5626

Abstract

LOYOLA, Rafael D.  and  MARTINS, Rogério P.. Small-scale area effect on species richness and nesting occupancy of cavity-nesting bees and wasps. Rev. Bras. entomol. [online]. 2011, vol.55, n.1, pp.69-74. ISSN 0085-5626.  http://dx.doi.org/10.1590/S0085-56262011000100011.

Efeito de área em pequena escala sobre a riqueza e comportamento de nidificação de abelhas e vespas solitárias. Este trabalho foi realizado em fragmento florestal urbano localizado na região sudeste do Brasil. Foram testadas as predições das seguintes hipóteses: (1) áreas maiores apresentam maior riqueza de espécies de abelhas e vespas que nidificam em cavidades pré-existentes, (2) espécies de abelhas e vespas que nidificam em cavidades pré-existentes ocupam mais ninhos em áreas maiores, (3) espécies raras ocupam mais ninhos em áreas menores. Estes insetos foram amostrados por meio de ninhos-armadilha de fevereiro a novembro de 2004. As armadilhas foram dispostas em unidades amostrais com diferentes tamanhos (25, 100 e 400 m2), alocadas em um fragmento de floresta mesofítica de 6 ha. Cento e trinta e sete armadilhas foram ocupadas por sete espécies de abelhas e quatro espécies de vespa. Observamos um aumento na riqueza de vespas associado a uma maior área amostral; não observamos o mesmo para abelhas. A riqueza de espécies de Hymenoptera (abelhas e vespas, em conjunto) foi maior em áreas maiores. Tanto a abundância quanto a densidade de ninhos ocupados por abelhas e vespas aumentou com o aumento da unidade amostral. Trypoxylon lactitarse ocorreu mais frequentemente em áreas maiores. O mesmo padrão foi observado para Auplopus militaris, espécies do gênero Megachile e Anthodioctes megachiloides. Apenas Trypoxylon sp. não foi afetada pelo tamanho da unidade amostral. Os resultados do estudo mostram que abelhas e vespas solitárias respondem de maneira diferente ao tamanho de área. O entendimento dessas relações deve ser complementado por informações sobre a frequência e dinâmica de ocupação de ninhos e colonização de áreas por abelhas e vespas solitárias.

Keywords : Abelhas e vespas solitárias; Aculeata; Brasil; fragmento florestal; ninho-armadilha.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License