SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 issue1New methods to quantify NH3 volatilization from fertilized surface soil with ureaPotting mix and phosphate fertilization for production of rooted Cocoa cuttings author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Ciência do Solo

Print version ISSN 0100-0683

Abstract

MATOS, Eduardo da Silva et al. Decomposição e liberação de nutrients de leguminosas herbáceas em cafezais sob sistemas agroflorestais. Rev. Bras. Ciênc. Solo [online]. 2011, vol.35, n.1, pp. 141-149. ISSN 0100-0683.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832011000100013.

Leguminosas utilizadas como adubos verdes são consideradas uma fonte importante de nutrientes para a cultura do cafeeiro, especialmente em solos com baixa disponibilidade de nutrientes. Experimentos de campo foram realizados com o objetivo de avaliar as taxas de decomposição e liberação de nutrientes de leguminosas empregadas como adubos verdes em cafezais sob sistemas agroflorestais na Zona da Mata de Minas Gerais. Os teores iniciais de N e P nos materiais vegetais variaram de 25,7 a 37,0 e de 2,4 a 3,0 g kg-1, respectivamente. As relações lignina/N, lignina/polifenol e (lignina+polifenol)/N apresentaram baixos valores para todas as espécies estudadas. As maiores perdas de matéria seca ocorreram nos primeiros 15 dias de avaliação, quando 25 % do material foi decomposto. Entre 15 e 30 dias de avaliação, houve redução da taxa de decomposição em ambas as propriedades. Na propriedade de Pedra Dourada (PD), a constante de decomposição k aumentou na sequência C. mucunoides < S. aterrimum < S. guianensis < A. pintoi. Já em Araponga (ARA), não houve diferença nas taxas de decomposição das leguminosas estudadas. As taxas de liberação de N variaram entre 0,0036 e 0,0096 d-1. Cerca de 32 % do total de N no material vegetal foi liberado nos primeiros 15 dias. Até os 360 dias, foram liberados pelos adubos verdes, em média, 77,5 % do N em Araponga e 88,5 % em Pedra Dourada. O P apresentou a maior velocidade de liberação, variando de 0,0165 a 0,0394 d-1. As taxas de decomposição e liberação de nutrientes não se correlacionaram com as composições química e bioquímica iniciais, porém as diferenças climáticas entre as duas áreas modificaram as constantes de decomposição dos resíduos das leguminosas.

Keywords : ciclagem de nutrientes; agroecologia; qualidade do resíduo vegetal.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English