SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número3Caracterização de neossolos regolíticos da região semiárida do Estado de PernambucoRelações pedomorfogeológicas e distribuição de pedoformas na estação ecológica de águas emendadas, Distrito Federal índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciência do Solo

versão On-line ISSN 1806-9657

Resumo

SCHIAVO, Jolimar Antonio et al. Caracterização e classificação de solos da bacia do rio Taquari no Pantanal Sul-Mato-Grossense. Rev. Bras. Ciênc. Solo [online]. 2012, vol.36, n.3, pp.697-708. ISSN 1806-9657.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832012000300002.

Dentre os solos existentes no Mato Grosso do Sul, destacam-se no Bioma Pantanal, os Espodossolos. Apesar de serem verificados em extensões consideráveis, poucos estudos com objetivo de caracterização e classificação desses solos foram realizados. Objetivou-se caracterizar e classificar solos de três feições fisiográficas da bacia do rio Taquari: baía e campos de inundação. Foram abertas duas trincheiras na área de baía (P1 e P2) e duas na de campos de inundação (P3 e P4). A terceira feição (salinas) foi amostrada para estudos posteriores, por apresentar altos teores de sódio. Nos solos estudados, nas duas áreas houve predomínio da fração areia, com textura variando de areia a franco-arenosa, sendo o principal constituinte o quartzo. Na área de baía o horizonte superficial (P1) apresentou teor de carbono orgânico (CO) maior que 80 g kg-1, sendo diagnosticado como H hístico. Para os demais perfis, os horizontes superficiais apresentaram baixos teores de CO, o que, em associação com outros atributos, fez com que eles fossem diagnosticados como A moderado. Nos solos da área de baía (P1 e P2) os valores de pH variaram de 5,0 a 7,5, associados à dominância dos íons Ca2+ e Mg2+, com saturação por bases, em alguns horizontes, maior que 50 %. Na área de campos de inundação, os solos (P3 e P4) mostraram valores de pH variando de 4,9 a 5,9, elevados valores de H+ nos horizontes superficiais (0,8 a 10,5 cmolc kg-1), valores de Ca2+ + Mg2+ variando de 0,4 a 0,8 cmolc kg-1 e saturação por bases maior que 50 %. Nos solos da área de baía (P1 e P2) ocorreu acúmulo de Fe, extraído por ditionito (Fed), e CO no horizonte espódico; e nos solos de campos de inundação (P3 e P4) houve acúmulo somente de Fed (nos horizontes subsuperficiais). De acordo com critérios adotados pelo Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS), em nível de subgrupo os solos foram classificados como: P1: Espodossolo Ferri-humilúvico hidromórfico organossólico, P2: Espodossolo Ferri-humilúvico órtico típico, P3: Espodossolo Ferrilúvico hidromórfico típico e P4: Espodossolo Ferrilúvico órtico espessarênico.

Palavras-chave : Espodossolos; sedimentos quaternários; taxonomia de solos; SiBCS.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons