SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número5Perfis de carbono orgânico do solo nas regiões Sul e Serra do Espinhaço Meridional, Minas Gerais: modelagem em profundidadeNodulação e eficiência da fixação do N2 em feijão-caupi por efeito da taxa do inóculo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciência do Solo

versão On-line ISSN 1806-9657

Resumo

CUNHA NETO, Felipe Vieira da et al. Fauna edáfica como indicador da qualidade do solo em povoamentos florestais, pastagem e floresta secundária. Rev. Bras. Ciênc. Solo [online]. 2012, vol.36, n.5, pp.1407-1417. ISSN 1806-9657.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06832012000500004.

As interações entre os invertebrados edáficos e as variações ambientais, para avaliação da qualidade do solo, são pouco conhecidas. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade do solo em áreas com diferentes manejos, utilizando a fauna edáfica como indicador. O trabalho foi realizado em Além Paraíba, MG, em cinco áreas com diferentes coberturas vegetais (acácia, mimosa, eucalipt,  pastagem e floresta secundária). Para a amostragem da comunidade de invertebrados do solo, foram utilizadas armadilhas "pit fall", nas estações seca e chuvosa. Foram determinados a abundância da fauna, as riquezas média e total, o índice de diversidade de Shannon, o índice de uniformidade de Pielou e o índice de mudança V. As áreas de floresta secundária e plantio de mimosa apresentaram a maior abundância da fauna no período seco (111,3 e 31,7 indivíduos por armadilha por dia, respectivamente). No período chuvoso, as áreas de floresta secundária, de mimosa e de acácia não diferiram. Os maiores valores de riqueza média e total foram quantificados na área de floresta secundária no período seco e na área de mimosa no período chuvoso. O índice de Shannon variou de 1,57 nas áreas de acácia e eucalipto, no período chuvoso, a 3,19 na área de eucalipto, no período seco. O índice de uniformidade de Pielou foi maior para os povoamentos florestais (eucalipto, acácia e mimosa), na estação seca. Já na estação chuvosa, as áreas de pastagem e floresta secundária superaram os povoamentos florestais. Pela aplicação do índice de mudança V, a área de mimosa foi a que apresentou a menor percentagem de grupos extremamente inibidos, tanto no período seco quanto no chuvoso (36 e 23 %, respectivamente). Entre os povoamentos florestais, a área de mimosa foi a que proporcionou a maior abundância de fauna edáfica.

Palavras-chave : comunidade edáfica; manejo do solo; indicadores biológicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons