SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número110Universidade na América Latina: rumos do financiamentoIdeário pedagógico municipalista de Anísio Teixeira índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Cadernos de Pesquisa

versão impressa ISSN 0100-1574

Resumo

BRUSCHINI, Cristina  e  LOMBARDI, Maria Rosa. A bipolaridade do trabalho feminino no Brasil contemporâneo. Cad. Pesqui. [online]. 2000, n.110, pp. 67-104. ISSN 0100-1574.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742000000200003.

O artigo analisa, com base em múltiplas fontes de dados secundários, a participação das mulheres no mercado de trabalho em dois pólos opostos de atividade. Do primeiro, que abriga as ocupações de má qualidade quanto aos níveis de rendimento, formalização das relações e proteção no trabalho, foi selecionado como objeto de estudo o emprego doméstico. Nos anos 90, esse segmento manteve algumas das marcas de precariedade que sempre o caracterizaram, como as longas jornadas de trabalho, os baixíssimos níveis de rendimento e de formalização, embora em relação a esses dois últimos aspectos haja alguns sinais promissores de mudanças. Do segundo pólo, composto por "boas" ocupações, caracterizadas por níveis mais elevados de formalização, de rendimentos e de proteção, selecionamos algumas carreiras universitárias, quais sejam, a engenharia, a arquitetura, a medicina e o direito. Os dados revelaram que as mulheres que ingressaram nessas profissões são mais jovens do que seus colegas. No mais, seu perfil de inserção ocupacional é muito assemelhado ao dos homens, exceção feita aos rendimentos. Seguindo um padrão de gênero encontrado no mercado de trabalho, os ganhos femininos são sempre inferiores aos masculinos.

Palavras-chave : RELAÇÕES DE GÊNERO; TRABALHO; MULHERES; OCUPAÇÕES PROFISSIONAIS.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português