SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 issue12Heterosis upon weights in Canchim and Aberdeen Angus calves and in their reciprocal crossesFruit characteristics of acerola genotypes grown at highaltitude author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Pesquisa Agropecuária Brasileira

Print version ISSN 0100-204X

Abstract

FERREIRA, ADEMIR DE MORAES et al. Restrição alimentar e atividade ovariana luteal cíclica pós-parto em vacas girolanda. Pesq. agropec. bras. [online]. 2000, vol.35, n.12, pp. 2521-2528. ISSN 0100-204X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-204X2000001200023.

Objetivou-se neste trabalho verificar se a restrição alimentar no pós-parto em vacas Girolanda, multíparas, de bom escore de condição corporal (ECC = 3,5 a 4,5) ao parto será suficiente para impedir o reinício da atividade ovariana luteal cíclica (AOLC) pós-parto. Os animais foram distribuídos em três tratamentos: Grupo I (n = 15), mantença; Grupo II (n = 10) e Grupo III (n = 13), sendo que os grupos II e III receberam restrição alimentar até 90 e 180 dias pós-parto, respectivamente. As pesagens e avaliações do ECC foram efetuadas logo após o parto, e depois semanalmente. A AOLC foi avaliada por palpação retal, observação de cio e concentração de progesterona no leite. Os intervalos do parto ao primeiro cio foram de 53,1, 63,2 e 51,2 dias (P>0,05), respectivamente para os Grupos I, II e III, que apresentaram perdas de peso de 7,3 kg, 57,0 kg e 63,7 kg nesse período; e de 14,2 kg, 63,8 kg e 78,4 kg do parto até 90 dias pós-parto, repectivamente. Em vacas Girolanda de bom escore de condição corporal ao parto, a perda de 15,2% do peso nos três primeiros meses de lactação, e de 16,3% do peso até 180 dias pós-parto, não é suficiente para atrasar o reinício ou interromper a AOLC nos respectivos períodos.

Keywords : condição corporal; ciclo estral; bovinos; subnutrição.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese