SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue2Quality of fruits of five musk melon cultivars in function of the number of fruits per plantDevelopment of 31 cultivars of quince grafted in the japanese rootstock author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Fruticultura

Print version ISSN 0100-2945

Abstract

OLIVEIRA, Janiffe Peres de; COSTA, Frederico Henrique da Silva  and  PEREIRA, Jonny Everson Scherwinski. Crescimento de mudas micropropagadas de bananeira aclimatizadas nas condições da Amazônia Sul Ocidental sob a influência de diferentes substratos e recipientes. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2008, vol.30, n.2, pp. 459-465. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452008000200033.

Para laboratórios que produzem milhares de plantas micropropagadas regularmente, a otimização da fase de aclimatização é de fundamental importância para evitar perdas excessivas de plantas, bem como favorecer seu crescimento. O trabalho teve por objetivo avaliar o crescimento de mudas micropropagadas de bananeira na aclimatização, sob a influência de diferentes substratos e recipientes, nas condições da Amazônia Sul-Ocidental. Após o sexto subcultivo, brotações de bananeira, cv. Grand Naine (AAA), foram enraizadas em meio MS básico sendo, posteriormente, transferidas para viveiro onde foram plantadas em tubetes de 115 cm3 e 180 cm3 preenchidos com seis diferentes substratos, formulados a partir da combinação de terra de encosta, esterco bovino e casca de arroz carbonizada. Avaliações sobre sobrevivência, altura da parte aérea e diâmetro do pseudocaule foram realizadas quinzenalmente, sendo que, ao final de 75 dias, também foi determinada a massa fresca e seca das plantas. Observou-se que a sobrevivência das plantas não foi influenciada pelo uso de tubetes de 115 cm3 ou 180 cm3, no entanto, plantas aclimatizadas em tubetes de 180 cm3 apresentam maior crescimento em altura e diâmetro do pseudocaule e, conseqüentemente, maior acúmulo de massa fresca e seca das partes aérea e raízes, durante a aclimatização, quando comparados aos tubetes com 115 cm3 de capacidade. Entre os substratos, verificou-se que aqueles que continham esterco bovino na sua composição, proporcionaram resultados superiores quando comparados aos demais substratos testados para todas as variáveis analisadas, sendo este, portanto, um importante componente no desenvolvimento das plantas durante a fase de aclimatização.

Keywords : Musa sp.; micropropagação; tubetes; aclimatização; ambiente ex vitro.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese