SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue2Photoautotrophic multiplication of blueberry by using natural lightUse of earthworm casting in the production of papaya seedlings author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Fruticultura

Print version ISSN 0100-2945

Abstract

FRANZON, Rodrigo Cezar et al. Propagação da pitangueira através da enxertia de garfagem. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2008, vol.30, n.2, pp. 488-491. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452008000200038.

A pitangueira é uma frutífera nativa com potencial para exploração comercial. Entretanto, os métodos de propagação mais comuns não são satisfatórios para a multiplicação desta espécie em larga escala. O objetivo do trabalho foi o de avaliar o uso do método de enxertia de garfagem no topo, em fenda cheia e dupla fenda, bem como a melhor época para a realização desta prática (julho, agosto e setembro), nas condições do Sul do Brasil. O experimento foi conduzido no ano de 2005, na Embrapa Clima Temperado, Pelotas-RS. O delineamento foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 3 (tipo de garfagem x época de enxertia), com 5 repetições. Conclui-se que a enxertia de garfagem no topo, em fenda cheia e/ou em dupla fenda, pode ser utilizada para a propagação vegetativa da pitangueira durante o inverno, sendo que a enxertia de garfagem em fenda cheia proporcionou melhores percentuais de pegamento dos enxertos (60,0%) do que a garfagem em dupla fenda (44,2%). Quanto à época, os melhores percentuais foram obtidos no mês de setembro, com 67,5% de pegamento dos enxertos, seguido pelo mês de agosto e julho, com 51,3% e 37,5%, respectivamente.

Keywords : Eugenia uniflora; Myrtaceae; Propagação vegetativa.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese