SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue2Use of dextrin-based coatings on postharvest conservation of 'Tommy Atkins' mango fruitPhylogenetic relationships and diversity of Guignardia spp isolated from different hosts on ITS1-5,8S-ITS2 region author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Fruticultura

Print version ISSN 0100-2945

Abstract

FISCHER, Ivan Herman et al. Doenças pós-colheita em variedades de manga cultivadas em Pindorama, São Paulo. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2009, vol.31, n.2, pp. 352-359. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452009000200009.

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a ocorrência de doenças pós-colheita em 15 variedades de manga, cultivadas em Pindorama-SP, sem adição de agroquímicos. Os frutos foram colhidos e submetidos a 24h de câmara úmida, permanecendo por mais nove dias a 25±2ºC e 70-80% de UR. A incidência de podridões e a severidade da antracnose foram avaliadas em intervalos de três dias. No início do armazenamento, os frutos foram caracterizados quanto aos teores de sólidos solúveis e acidez titulável. A antracnose foi a doença mais frequente nas quinze variedades de manga, com 100% de incidência um dia após a colheita dos frutos, seguida pela podridão peduncular com média entre as variedades de 20,8% ao final do armazenamento. Menor severidade de antracnose foi observada nas variedades Surpresa e Zill, enquanto menor incidência da podridão peduncular foi observada em 'Winter' e 'Pele-de-Moça'. Análises de correlação entre os parâmetros sólidos solúveis e acidez titulável das variedades com a intensidade da antracnose e da podridão peduncular foram significativas apenas entre acidez e antracnose, antes e após o período de armazenamento.

Keywords : Mangifera indica; Colletotrichum; resistência.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese