SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número3Concentração salina e fases de exposição à salinidade do meloeiro cultivado em substrato de fibra de cocoFungos micorrízicos arbusculares, bactérias diazotróficas e adubação fosfatada em mudas de mamoeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945

Resumo

WELTER, Marina Keiko et al. Efeito da aplicação de pó de basalto no desenvolvimento inicial de mudas de camu-camu (Myrciaria dubia). Rev. Bras. Frutic. [online]. 2011, vol.33, n.3, pp. 922-931. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452011000300028.

A produção de mudas de fruteiras nativas é um importante passo para a preservação das espécies, exploração comercial sustentável e geração de emprego. Neste contexto, os fertilizantes alternativos, como pó de rocha, propiciam a obtenção de um substrato com maior fertilidade, rico em nutrientes, com redução de custos em mão de obra e com a reposição de adubação. O objetivo no presente trabalho foi avaliar o desenvolvimento inicial de mudas de camu-camu (Myrciaria dubia H.B.K. McVaugh) em função de doses de pó de basalto. O experimento foi conduzido em casa de vegetação pertencente ao CCA/UFRR. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, com cinco repetições, em esquema fatorial (5x2+1), sendo seis doses de pó de basalto (0; 0,42;1,04; 2,08; 4,17 e 8,33 g kg-1), duas granulometrias (0,05 e 0,10 mm f) e uma testemunha. Vasos de polietileno de 14 litros foram as unidades experimentais e utilizou-se um Latossolo Amarelo distrófico textura média. A incubação do solo nos vasos teve duração de 120 dias e, após esse período, fez-se o transplante das plântulas. Após seis meses do plantio, foram determinados altura, diâmetro do colo, número de ramos e biomassa seca da parte aérea e de raiz das mudas. A partir destes dados, foram calculados os índices morfológicos. Os tratamentos sem pó de basalto (0 g kg-1) e a dose de 0,42 g kg-1 produziram mudas de menor qualidade em ambas as granulometrias testadas. As melhores mudas de camu-camu foram obtidas aplicando-se 4,17 e 8,33 g kg-1 de pó de basalto com a granulometria de 0,05 mm.

Palavras-chave : caçari; fertilizante alternativo; rochagem; propagação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português