SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número4Potencial nutricional da farinha de banana verde obtida por secagem em leito de jorroAvaliação da morfologia interna de sementes de Acca sellowiana O. Berg por meio de análise de imagens índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945

Resumo

GRUZ, Ana Paula Gil et al. Recuperação de compostos bioativos a partir do bagaço de uva. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2013, vol.35, n.4, pp.1147-1157. ISSN 0100-2945.  https://doi.org/10.1590/S0100-29452013000400026.

As indústrias de frutas destacam-se pelo volume de resíduo gerado e, principalmente, pela composição dos mesmos. O Brasil vem-se consolidando como um importante produtor mundial de suco de uva, gerando grande quantidade de resíduos diversos, como o bagaço, que corresponde a aproximadamente 20% da fruta processada. O bagaço constitui-se de casca e semente, e apresenta uma composição rica e heterogênea em compostos fenólicos (flavonoides e não flavonoides), razão pela qual foi empregado como matéria-prima no presente trabalho para a obtenção de um extrato bioativo. As extrações enzimática e etanólica foram avaliadas para a recuperação destes compostos para fins alimentícios. Dentre as condições avaliadas nos dois planejamentos experimentais, a extração hidroetanólica foi mais eficiente na recuperação dos compostos bioativos (p< 0,01), cujo extrato apresentou uma capacidade antioxidante de 1.965 µmol Trolox por 100 g de bagaço, 25% superior à do extrato obtido com a melhor condição enzimática (1.580 µmol Trolox por 100 g de bagaço).

Palavras-chave : reaproveitamento de coprodutos; Vitis sp; compostos fenólicos; antioxidantes; extração etanólica; extração enzimática.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons