SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número3Comportamento de híbridos de citros em relação à infecção natural pelo Citrus tristeza virus e à presença de sintomas de descamamento eruptivoProteções contra queima solar de frutos de abacaxizeiro submetido a diferentes lâminas de irrigação índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945

Resumo

GONCALVES, Michél Aldrighi et al. Efeito da intensidade de poda na produção e qualidade de frutos de pessegueiro. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2014, vol.36, n.3, pp.742-747. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-2945-225/13.

O presente estudo teve como objetivo avaliar o comportamento vegetativo e produtivo de pessegueiros quando submetidos a variações na intensidade de desponte dos ramos durante a poda de frutificação. Foram utilizadas plantas de duas cultivares, Riograndense e Leonense, e três intensidades de poda, poda curta (retirada de 2/3 do comprimento do ramo), poda longa (retirada de 1/3 do ramo) e poda sem desponte (manutenção dos ramos íntegros). De acordo com os resultados, as plantas de 'Riograndense' apresentaram frutos com maior diâmetro, já as de 'Leonense' apresentaram maior percentual de frutificação efetiva (40,91 %), firmeza de polpa (7,70 kgf), sólidos solúveis (11,12 ºbrix) e número médio de frutos por planta (70,11). A poda denominada poda curta proporcionou maior diâmetro de frutos e maior volume de massa fresca retirada da poda em verde (3.193,75 g.planta-1). A interação 'Riograndense' e poda curta proporcionou maior percentual de frutos colhidos (91,02 %), maior massa média de frutos (141,62 g) e maior volume de massa fresca na poda de frutificação (3.188,14 g.planta-1), já a maior produtividade foi obtida em plantas de 'Riograndense', que receberam poda sem desponte (10,82 t.ha-1). Os diferentes tipos de poda influenciam no desenvolvimento das plantas, afetando o número de flores e frutos. Nas condições em que o experimento foi conduzido, podemos concluir que características como frutificação efetiva, firmeza de polpa e sólidos solúveis não são alteradas pelos diferentes tipos de poda, já as variáveis relacionadas à produtividade estão intimamente relacionadas com as variações de intensidade de poda de ramos.

Palavras-chave : Prunus persica; frutificação; poda.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons