SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número3ALTERNATIVAS PARA PRESERVAÇÃO DE COMPOSTOS BIOATIVOS EM POLPAS DE MIRTILO: TRATAMENTO TÉRMICO ASSOCIADO À ADIÇÃO DE XANTANA PRUNIATIVIDADE ANTIOXIDANTE E CARACTERIZAÇÃO FÍSICO QUÍMICA DE POLPA DE BURITI (MAURITIA FLEXUOSA) COLETADO NA CIDADE DE DIAMANTINO - MT índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

BRITO, RAIMUNDO DIONÍZIO PINTO et al. DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA PRODUÇÃO ESPONTÂNEA DE Attalea maripa (Aubl) Mart. DO BAIXO TOCANTINS. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2017, vol.39, n.3, e-694.  Epub 07-Ago-2017. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452017694.

A produção de biocombustível a partir de palmeiras nativas da Amazônia, pertencentes à família das Arecaceae, como a Attalea maripa (Aubl) Mart. (inajá), são objetos de estudos de fontes energéticas alternativas para a produção de biocombustíveis. Dessa forma, o objetivo desta pesquisa foi avaliar a dinâmica espacial das variáveis morfoagronômicas de produção da cultura do inajazeiro associado às características dos locais de amostragem, em uma área de crescimento espontâneo, na região do Baixo Tocantins. Foram selecionadas 100 palmeiras de A. maripa, de crescimento espontâneo e em fase de produção, em uma área de 10 ha, no município de Cametá-PA, nas quais foram realizados os levantamentos das variáveis morfoagronômicas (NIM, NIF, NCA, NF, DAP, PMCA e PMF), no período de janeiro de 2014 a junho de 2014. Foram elaborados os semivariogramas para cada variável estudada, que apresentaram um alcance de dependência espacial de 75 metros para NIM, NIF, PMCA e PMF; 80 metros para NF e DAP, e 98 metros para NCA. Já a área de alcance encontrada foi de 17.671,5 m² para as variáveis NIM, NIF, PMCA e PMF; 20.106,2 m² para NF e DAP, e 30.171,9 m² para NCA. Os dados das variáveis se ajustaram-se ao modelo esférico, apresentando coeficiente de determinação (R²) que variou de 0,57 a 0,99. O índice de dependência espacial (IDE) para as variáveis NIM e NIF foi de 0,49 e 0,31, respectivamente, que indica dependência espacial moderada. Para as variáveis NCA, NF, DAP e PMCA, variaram de 0,17 a 0,22, resultando em dependência espacial fraca. Já a variável PMF apresentou IDE com valor 0,77. Para análise visual da distribuição espacial das variáveis estudas, foram elaborados mapas de krigagem.

Palavras-chave : Dependência espacial; Inajá; Krigagem; Semivariograma; Variáveis morfoagronômicas.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )