SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número4INCIDÊNCIA DE DOENÇAS E REDUÇÃO DE CUSTOS COM FUNGICIDAS UTILIZANDO COBERTURA PLÁSTICA EM VIDEIRADETECÇÃO MOLECULAR DE Guignardia citricarpa EM TECIDOS ASSINTOMÁTICOS DE LARANJA-PERA índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

SILVA, SAULO DAVID REZENDE DA et al. MURCHA-DE-CERATOCYSTIS NAS MANGUEIRAS ‘UBÁ’ E ‘DURA’ SUBMETIDAS A DÉFICIT HÍDRICO. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2017, vol.39, n.4, e-441.  Epub 09-Out-2017. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452017441.

É comum a ocorrência de estresse hídrico em mangueiras cultivadas em pomares situados em regiões de clima semiárido no Brasil. O estresse causado às plantas pode predispô-las à incidência de doenças fúngicas. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do déficit hídrico na incidência e severidade da Murcha-de-Ceratocystis em cultivares de mangueiras consideradas resistentes. Mudas das mangueiras ‘Ubá’ e ‘Dura’ foram mantidas em vasos e submetidas a diferentes níveis de estresse hídrico e inoculadas com o isolado (CEBS15) de Ceratocystis fimbriata. A mortalidade das plantas foi baixa na ‘Ubá’ e alta na ‘Dura’. ‘Ubá’ apresentou menores valores de severidade e comprimento de lesão. Na ‘Ubá’, o déficit hídrico influenciou no aumento do comprimento da lesão. A ‘Dura’ apresentou maior severidade e comprimento de lesão, que não foram influenciados pelo aumento de déficit hídrico. Concluiu-se que a ‘Ubá’ é resistente ao fungo Ceratocystis fimbriata, mesmo em condições de déficit hídrico severo, enquanto a ‘Dura’ não foi resistente ao isolado CEBS15, mesmo em condições ótimas de irrigação.

Palavras-chave : Mangifera indica; Ceratocystis fimbriata; estresse hídrico.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )