SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número5ETANOL E ÓXIDO NÍTRICO NA MANUTENÇÃO DA QUALIDADE DE MAÇÃS ‘GALAXY’ ARMAZENADAS EM ATMOSFERA CONTROLADAMATURAÇÃO E QUALIDADE DE MAÇÃS NO PERÍODO DE COLHEITA,EM NÍVEL COMERCIAL índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

GONCALVES, NIGÉRIA PEREIRA et al. COMPOSTOS BIOATIVOS DURANTE A MATURAÇÃO DE QUATRO FRUTAS NATIVAS DA RESTINGA CEARENSE. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2017, vol.39, n.5, e-686.  Epub 18-Dez-2017. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452017686.

As frutas fornecem não somente nutrientes essenciais à alimentação, mas também compostos bioativos que promovem benefícios à saúde e auxiliam na redução do risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis. Neste mesmo sentido, o presente trabalho objetivou quantificar os compostos bioativos durante a maturação de quatro frutas nativas da Restinga cearense. Os frutos da murta (Eugenia punicifolia (Kunth) DC.) foram colhidos no Parque Estadual Botânico do Ceará, em Caucaia-CE, e os do guajiru (Chrisobalanus icaco L.), do manipuçá (Mouriri cearensis Huber) e do murici-pitanga (Byrsonima gardneriana A. Juss.) no Jardim Botânico de São Gonçalo, em São Gonçalo do Amarante–CE. Os frutos foram coletados em diferentes estádios (E) e transportados ao Laboratório de Ecofisiologia Vegetal, sendo caracterizados em cinco ou seis estádios de maturação, de acordo com a coloração da casca, depois processados e congelados para as avaliações físico-químicas e químicas: ácido ascórbico, clorofila total, carotenoides totais, antocianinas totais e flavonoides amarelos. Utilizou-se do delineamento inteiramente casualizado, com cinco ou seis tratamentos, dependendo dos estádios de maturação do fruto, e quatro repetições. O fruto do murici-pitanga foi superior para ácido ascórbico (646,23 mg ácido ascórbico/100 g no E5), carotenoides totais (6,13 mg/100 g no E5) e antocianinas totais (7,99 mg/100 g no E2); e o fruto da murta foi superior para clorofila (11,05 mg/100 g no E1) e flavonoides amarelos (69,11 mg/100 g no E2). Existem correlações positivas e significativas entre clorofila e carotenoides (R= 0,99; P < 0,01) para o manipuçá, e entre antocianina e flavonoides amarelos (R= 0,97; P < 0,05) para o murici-pitanga; no entanto, a correlação é negativa e significativa entre ácido ascórbico e flavonoides amarelos (R= -0,98; P < 0,05) na murta. Conclui-se que o murici-pitanga e a murta têm os maiores números de compostos bioativos com os níveis mais altos; portanto, ambos os frutos podem ser recomendados para serem explorados comercialmente pelos setores de alimentação, cosméticos e fitoterápicos.

Palavras-chave : ácido ascórbico; clorofila; carotenoides; antocianinas; flavonoides amarelos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )