SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número5REPETIBILIDADE PARA CARACTERES DE QUALIDADE DE FRUTOS DE FIGUEIRA DA ÍNDIAAVANÇOS NA PROPAGAÇÃO DA RAMBUTEIRA índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

GRZYBOWSKI, CAMILA RIBEIRO DE SOUZA et al. POTENCIAL FISIOLÓGICO E CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE MURUCI (Byrsonima crassifolia). Rev. Bras. Frutic. [online]. 2017, vol.39, n.5, e-475.  Epub 18-Dez-2017. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452017475.

O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial fisiológico de sementes de Byrsonima crassifolia e estudar procedimentos dos testes de germinação e de tetrazólio, bem como sua conservação, testando combinações de embalagem e ambiente. Foram utilizados pirênios do clone Açu, coletados de plantas matrizes da Coleção de Germoplasma de murucizeiro da Embrapa Amazônia Oriental, em Belém - PA, Brasil. No estudo de germinação foram testadas diferentes temperaturas (25, 30, 35 e 20 - 30 ºC), procurando-se definir a melhor metodologia e as datas de avaliação do teste, bem como a caracterização das plântulas. Na avaliação da viabilidade pelo teste de tetrazólio, testou-se combinações de formas de hidratação (por imersão e entre papel), períodos de coloração (3 e 4 h) e concentrações da solução de tetrazólio (0,5; 0,7 e 1,0%). O armazenamento dos pirênios de muruci foi avaliado aos três, seis e 12 meses, em embalagens de polietileno e papel tipo Kraft, sob condições de câmara seca e refrigerador. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com quatro repetições e os dados submetidos à análise de variância. Conclui-se que o potencial fisiológico das sementes de B. crassifolia pode ser avaliado pelo teste de germinação conduzido entre areia, com temperatura alternada de 20-30 ºC, ou com o uso do teste de tetrazólio (com coloração por três horas na solução de tetrazólio a 1,0%) como avaliação rápida da viabilidade. Os pirênios de muruci podem ser conservados em embalagem de polietileno ou papel tipo Kraft por até 12 meses, em câmara com temperatura de 16 ºC e umidade relativa de 50 a 60%.

Palavras-chave : Pirênio; germinação; teste de tetrazólio; armazenamento.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )