SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número1Fisiologia e qualidade de mudas de Eugenia dysenterica DC,produzidas em substratos em base de vermiculita e casca de arroz carbonizadaCondicionamento na promoção e uniformização da germinação de sementes de Umbuzeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

INOCENTE, Verena Heloise Hanel; NIENOW, Alexandre Augusto  e  TRE, Laura. Tempo de tratamento com AIB no enraizamento de estacas de cultivares de Oliveira. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.1, e-800.  Epub 08-Mar-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018800.

Fitorreguladores, como o ácido indolbutírico (AIB), têm sido empregados no processo de estaquia da oliveira geralmente na forma de soluções hidroalcoólicas concentradas. O objetivo do presente estudo foi avaliar a eficiência de uma baixa concentração de AIB (300 mg L-1), diluído em solução com apenas 10% de álcool a 70 oGL, no enraizamento de estacas de quatro cultivares de oliveira (Arbequina, Arbosana, Frantoio e Koroneiki), tratadas por diferentes tempos de imersão da base (0; 1; 2; 4 e 8 horas). A estaquia foi realizada em novembro de 2015, em estufa com sistema de irrigação do tipo nebulização intermitente. As estacas foram padronizadas com tamanho de 12 cm de comprimento e dois pares de folhas, plantadas em tubetes plásticos contendo casca de arroz carbonizada como substrato. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, no esquema fatorial 4 x 5, com quatro repetições e 12 estacas por parcela. Após 70 dias de estaquia, foi verificado que o aumento do tempo de tratamento afetou negativamente a retenção foliar, a sobrevivência e o enraizamento. A retenção foliar apresentou relação positiva com a sobrevivência e o enraizamento. O tratamento por 1 hora em solução de AIB foi eficiente no estímulo do enraizamento das estacas da cultivar Arbosana (66,7%). As cultivares Koroneiki e Arbequina apresentaram baixo ou nulo enraizamento, independentemente do uso ou não de AIB.

Palavras-chave : Olea europaea L.; propagação vegetativa; estaquia; ácido indolbutírico.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )