SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número3Combination of uv-c radiation and chitosan films enriched with essential oils for fungi control in papaya ‘Maradol’Frequência de aplicação de fungicida para controle de míldio na cultivar de uva sem semente BRS Vitória índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945versão On-line ISSN 1806-9967

Resumo

AYUB, Ricardo Antonio; REIS, Letícia; LOPES, Precila Zambotto  e  BOSETTO, Luane. Efeito do etileno e do brassinoestereoide no amadurecimento do morango após aplicação no campo. Rev. Bras. Frutic. [online]. 2018, vol.40, n.3, e-544.  Epub 10-Jul-2018. ISSN 0100-2945.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-29452018544.

Em contraste com o conhecimento sobre a maturação de frutos climatéricos, a maturação de frutos não climatéricos ainda é pouco entendida. Neste sentido, o morangueiro (Fragaria x ananassa) é uma cultura de elevado valor comercial e expressiva produção mundial que vem sendo utilizada como modelo de estudos. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito sobre as características físico-químicas e fitoquímicas do morango Cv. Camiño Real, em quatro estádios de maturação (verde, branco, rosa e vermelho), após o spray exógeno de etileno (Etephon®) e brassinoesteroide (epibrassinolide). As avaliações foram realizadas no momento da aplicação (ensaio de campo) e após 24 h (ensaio pós-colheita). A aplicação de brassinoesteroide reduz o conteúdo de compostos fenólicos no estádio vermelho, enquanto o tratamento com etileno aumenta. Assim, supõe-se que, enquanto os brassinoesteroides diminuem a concentração de compostos fenólicos, atuando na conservação dos frutos pela redução do estresse oxidativo e pelo aumento da atividade antioxidante, o etileno age acelerando o amadurecimento do fruto, levando à senescência. No entanto, para o conteúdo de vitamina C, enquanto o tratamento com brassinoesteroide aumenta o ácido ascórbico na pós-colheita em frutos brancos, o tratamento de etileno aumentou dramaticamente o conteúdo de vitamina C em frutos vermelhos, mostrando que, embora o etileno e os brassinoesterideos possam afetar o conteúdo de vitamina C, a resposta pode mudar de acordo com o estádio de desenvolvimento, sugerindo que são necessários mais estudos para compreender a interação hormonal para a produção de ácido ascórbico durante o amadurecimento de morangos.

Palavras-chave : Fragaria x ananassa Duch; Rosaceae; Amadurecimento; Ethephon; Epibrassinolídeo.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )